Fumo, sedentarismo e bebidas alcoólicas aumentam o risco de derrame

Fumo, falta de atividade física e alimentação desequilibrada são os principais fatores de risco para o derrame. A conclusão é de um estudo liderado pela Universidade de East Anglia, na Grã-Bretanha. O derrame acontece quando há o rompimento de uma artéria que irriga o cérebro. Isso faz com que se dê a interrupção do fluxo de oxigênio para o cérebro, podendo danificar certos órgãos do corpo. O sangramento dessa artéria rompida também aumenta a pressão sanguínea dentro do crânio e danificando o cérebro.

Os sintomas do derrame são dores de cabeça repentinas, tontura, problemas de visão, vômito e paralisia de um lado do corpo. Os cientistas envolvidos na pesquisa aconselham não só a prática de atividades físicas como exercícios aeróbios que facilitam a queima de gordura e a circulação do sangue. A ingestão de alimentos saudáveis também é fundamental. Frutas e verduras devem ser consumidas em até cinco porções por dia.
Autor:
OBID Fonte: R7