Advertência gráfica em maços reforça lembrança sobre riscos do tabagismo

INCA
Adição de advertências gráficas em maços de cigarros reforça lembrança de fumantes em relação aos alertas e os riscos à saúde relacionados ao tabagismo. É o que comprova estudo conduzido na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Descobertas foram publicadas online no American Journal of Preventive Medicine.

“Um primeiro passo importante para avaliar a real eficácia dos rótulos de advertência é demonstrar se os fumantes podem corretamente se lembrar de seu conteúdo ou da mensagem”, diz o principal autor do estudo, Andrew A. Strasser. “Com base na presente pesquisa, agora temos uma melhor compreensão de duas questões importantes sobre como os fumantes dos Estados Unidos veem advertências gráficas: se eles recebem a mensagem e como eles recebem a mensagem.”

No estudo, 200 fumantes foram disponibilizados aleatoriamente para ver uma advertência textual, utilizada nos EUA desde 1985 e um alerta gráfico, que mostra um paciente internado e possui um texto maior semelhante proposto pela FDA para ser aprovado no país norte-americano.

Para avaliar como os participantes viam o layout dos anúncios, a equipe de investigação utilizou uma sofisticada tecnologia de rastreamento ocular. Com este equipamento, eles foram capazes de medir tempo de permanência (tempo total visualização de várias partes do anúncio, incluindo o texto ou aviso gráfico), tempo para primeira visualização das partes do anúncio, para avaliar o quão chamativo é o mesmo, além do número de vezes que cada área do anúncio era vista (incluindo o texto ou o aviso gráfico). Após a leitura dos anúncios, cada participante do estudo também teve que reescrever o texto do rótulo de advertência para demonstrar a sua recordação da informação.

Os pesquisadores encontraram uma diferença significativa na porcentagem de recordação correta entre as advertências textuais e as que uniam imagem e texto, respectivamente 50% contra 83%. Além disso, quanto mais rápido um fumante olhava para o texto (disponibilizado em letras maiores) dos alertas gráficos e quanto mais tempo eles viam as imagens, maior era a probabilidade de eles recordarem as informações corretamente.

Segundo os pesquisadores, os novos dados demonstram que chamar a atenção para o rótulo de advertência pode melhorar a recordação de informações relevantes relacionadas à saúde, o que tem potencial para melhorar a percepção sobre o risco do tabagismo. Além disso, atrair a atenção para o aviso antes de ver o corpo anúncio pode mudar o entendimento da mensagem no corpo da propaganda, fazendo com que os espectadores a vejam com mais atenção. Por fim, o tempo para a primeira visualização da advertência tem aplicações práticas em contextos reais, no qual as pessoas destinam apenas poucos segundos a um anúncio impresso. Estudos mais aprofundados sobre o tamanho, fonte, cor e localização do texto podem identificar a maneira mais eficaz de chamar a atenção.

“Esta pesquisa fornece insights valiosos sobre como as etiquetas de advertência podem ser eficazes, o que pode servir para a criação de advertências ainda melhores no futuro”, conclui Strasser.
Fonte : BoaInformação.com
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas