Ministro da Saúde acompanha trabalho do Consultório de Rua

Tribuna Hoje
Alexandre Padilha fez questão de passar uma noite com a equipe do projeto Consultório de Rua Fique de Boa, que atua no acolhimento de usuários de crack, álcool e outras drogas nas ruas de Maceió.

Em visita à Alagoas no início deste mês, quando participou do Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, fez questão de acompanhar a noite de trabalho de uma equipe do projeto Consultório de Rua Fique de Boa, que atua no acolhimento de usuários de crack, álcool e outras drogas nas ruas de Maceió. Desenvolvido pelo Programa de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o projeto tem atuado junto a esse público-alvo, possibilitando um acesso facilitado ao tratamento e ao atendimento da atenção básica de saúde.

Ao lado do coordenador-geral da área técnica de Saúde Mental do Ministério da Saúde, Roberto Tykanori, do secretário Adeílson Loureiro, da coordenadora do Programa de Saúde Mental do município, Izolda Dias, e de cerca de 20 agentes redutores de danos, o ministro percorreu os bairros de Jaraguá e Centro (nas proximidades do Mercado da Produção), participando, das 23h às 2h, das várias etapas do acolhimento.

“O ministro Padilha acompanhou as intervenções e conversou com os moradores de rua – muitos deles, fazendo uso de crack no momento da abordagem – tentando convencê-los a procurar abandonar o vício e a buscar, por meio das equipes do Consultório de Rua, o atendimento da atenção básica nas unidades do município. Ao final, ele se mostrou satisfeito com o trabalho que temos realizado nessa área”, disse Izolda Dias.

Em Maceió, o Consultório de Rua Fique de Boa conta com quatro equipes atuando junto à população de rua nos núcleos Benedito Bentes, Centro, Vergel e Jaraguá/Pajuçara, no período da tarde. Atualmente, são realizados cerca de 60 atendimentos diários, com intervenções relativas a encaminhamentos para unidades de saúde (para exames, atendimentos básicos ou imunização), hospitais, laboratórios, albergues e unidades acolhedoras, além do CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e outras Drogas). Em julho, o projeto terá o reforço de duas novas equipes para atuar no período noturno, nos núcleos Centro e Benedito Bentes, onde foram detectadas grandes demandas para o programa.

Fortalecidas com a adesão do município ao Plano “Crack, é Possível Vencer”, em março passado, as ações da SMS na área se destinam a fortalecer a rede de assistência em Maceió. Dentro dessa perspectiva, o CAPS AD passará a funcionar, também a partir de julho, com atendimento 24h, disponibilizando 5 leitos masculinos, 5 femininos e 5 infanto-juvenis. Serão criadas ainda 3 novas unidades acolhedoras, com tratamento intensivo para períodos mínimos de 6 meses de internação.

“O objetivo é ter essa rede de assistência estruturada e funcionando de forma eficiente, não só para o tratamento dos usuários de álcool e drogas, mas também, para os portadores de transtornos mentais do município. É um esforço coletivo de todas as instâncias de forma parceira, com a meta de fortalecer essa rede em todo o Estado”, reforçou a coordenadora da Saúde Mental em Maceió.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)