Drogas preocupam transportadores

Jornal de Jundiaí
Motoristas usam drogas para não dormir e conseguir cumprir prazo.

“Tem gente que realmente usa. É uma vida de zumbi. Seja empregado ou autônomo, existe a pressão do prazo e você precisa entregar. Usando ´rebites´ (anfetaminas) a pessoa não dorme, roda mais, mas também perde qualidade de vida”, conta um motorista profissional que por sete anos encarou a vida na estrada, fazendo entregas entre centros de distribuição de grandes redes varejistas.

Muitas vezes teve de se submeter ao uso das substâncias para cumprir o prazo da entrega. A realidade apontada pelo motorista existe em todas as estradas nacionais. Uma tentativa de regulamentar a profissão e, reduzir a pressão externa, foi a aprovação da lei 12.619, em abril, que protege o motorista proporcionando períodos de descanso obrigatórios. Hoje será realizado um seminário explicativo sobre a lei, organizado pelo Instituto Sapiens Vitta, de Jundiaí.

De acordo com Laura Fracasso, especialista em dependência química, cerca de 60% dos acidentes de trânsito acontecem durante o dia, entretanto, os 40% que ocorrem no período da noite são mais graves, e com maior probabilidade de mortes. “Parte dessa estatística é fundamentada nas jornadas longas dos motoristas, que precisam dar conta do trabalho contra o tempo. Os autônomos oferecem a rapidez, tentando ser mais competitivos”, explica.

Na opinião da especialista, a legislação aprovada deve melhorar as condições de trabalho e reduzir o uso de drogas. Segundo Fernanda dos Santos Mello, advogada trabalhista do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Jundiaí e Região, o controle da jornada de trabalho e a proteção ao motorista que só responderá aos acidentes quando comprovado dolo e culpa, são inovações. “As conquistas dos trabalhadores melhoram as condições de trabalho. Esperamos que reduzam o uso notório de drogas.”

Seminário – De acordo com Rodrigo Alex, consultor do Instituto Sapiens Vitta, de Jundiaí, o Seminário sobre a Regulamentação da Profissão de Motorista Profissional, que será realizado hoje, terá foco nos profissionais e nas empresas do ramo. “É preciso identificar a dependência e encaminhar ao tratamento. Existem programas específicos para a recuperação desse profissional”, argumenta. O evento acontece das 8 às 12h30, no Center Park Hotel, em Jundiaí. As inscrições são gratuitas.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)