Riscos existem para toda sociedade

Tribuna do Norte
A psicóloga Márcia Toscano, do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), acredita que os motivos para jogadores – e profissionais de outras áreas, como reitera – entrarem no mundo das drogas são diversos.

Para ela, a variedade de casos torna uma explicação mais ampla sobre o assunto algo bem subjetivo. “A incerteza do futuro pode ser um fator. Com certa idade, alguns jogadores já têm de pensar no que farão quando encerrarem a carreira. É uma fase crítica em que já tem de se pensar em outra coisa pra se fazer no futuro, como ser treinador, por exemplo. É algo bem subjetivo e nós não sabemos exatamente o que se passa com cada um”, explica.

A psicóloga explica que muitas vezes a falta de uma estrutura emocional pode levar às pessoas a procurarem as drogas, mas reitera que cada caso é um caso e devem ser tratados de maneiras diferentes. “O que pode levar ao mundo das drogas é a incerteza do futuro, a inconstância, a falta de perspectiva, a instabilidade emocional”, diz.

Márcia Toscano reitera que isso pode acontecer com profissionais de qualquer área. Para a psicóloga, as motivações para essas pessoas buscarem o uso das drogas são variadas. “A gente geralmente não sabe o que se passa. O fim de um relacionamento com a esposa pode levar a isso, por exemplo”, diz.

A psicóloga explica que muitas vezes os casos ocorrem em função das pessoas guardarem os problemas apenas pra si. “As pessoas têm de sair dessa coisa egocêntrica de tentarem resolver tudo sozinhas. Quando não estão satisfeitos, quando não encontram o algo mais que desejam, devem pedir ajuda aos amigos, às pessoas próximas, antes que o problema os atinja”, diz.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)