Traficantes batizam droga com forte anestésico

A Tribuna – Santos
Eduardo Velozo Fuccia
O estouro de um laboratório de refino de drogas, às 9h30 desta sexta-feira, na Zona Noroeste de Santos, merece atenção das autoridades das áreas da Saúde e da Segurança Pública. Traficantes estão misturando à cocaína e ao crack, principalmente, o mesmo anestésico que causou a morte do popstar Michael Jackson, em junho de 2009.

Entre os entorpecentes e vários produtos destinados ao batismo de drogas que foram apreendidos em uma casa do beco 89 do Caminho da Capela, no Jardim Rádio Clube, policiais do 5º DP de Santos encontraram três frascos do medicamento Fresofol, cujo princípio ativo é o propofol.

Condenado pela Justiça norte-americana por homicídio culposo (decorrente de imprudência, imperícia ou negligência), o médico particular de Michael Jackson, Conrad Murray, disse que o artista era viciado em propofol. No Brasil, o anestésico é de uso exclusivo hospitalar. Quando consumido sem o devido monitoramento, pode causar parada cardior-respiratória.

Denúncia anônima

Sob o comando do delegado Antonio Carlos de Castro Machado Júnior e do investigador Marcelo França, os policiais Luiz Nascimento e Marcos Alves foram checar denúncia anônima de que na casa do beco 89, a moradora chamada Andressa guardava entorpecentes para André Luiz da Silva Ferreira, o Andrezinho.

Recentemente, Andrezinho teve a prisão preventiva decretada em processo de associação para o tráfico do qual é um dos réus. Nesta semana, os mesmos policiais se dirigiram ao Caminho São José para apurar informação de que o acusado lá estaria e foram recebidos a tiros por capangas de Andrezinho. Ninguém ficou ferido e os criminosos fugiram.

Identificada posteriormente como Andressa Santos de Oliveira, de 23 anos, a moradora da casa do Caminho da Capela não estava, mas os policiais entraram no imóvel porque ele estava com a porta aberta. Durante revista, foi achada no quarto uma sacola com 260 pedras de crack, 230 cápsulas de cocaína e 290 porções de maconha de vários tamanhos.

Produtos químicos

Além das drogas, dentro da sacola havia uma máscara de proteção com filtro e diversos produtos para serem misturados às drogas, como o anestésico à base de propofol, três litros de éter, um frasco de acetona e um saco contendo um pó branco ainda ignorado.

Uma vizinha da moradia foi chamada pelos policiais para, na condição de testemunha, acompanhar a apreensão dos entorpecentes e demais produtos. Por aproximadamente uma hora, os agentes permaneceram no local, mas Andressa não apareceu.

O delegado Machado Júnior deverá intimá-la nos próximos dias para que preste esclarecimentos. Segundo ele, é provável que a jovem seja indiciada por tráfico e, eventualmente, pelo crime autônomo de associação para o tráfico.
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas