Aprovada campanha para grávidas usuárias de crack

Correio do Estado
A proposta tem o objetivo de orientar mães dependentes químicas sobre os problemas que a droga traz ao bebê e à gestante.

A Comissão da Constituição, Justiça e Redação(CCJR) da Assembleia Legislativa emitiu parecer favorável ao projeto que institui a campanha de conscientização dos prejuízos do uso do crack pela mulher gestante em Mato Grosso do Sul.

A proposta tem o objetivo de orientar mães dependentes químicas sobre os problemas que a droga traz ao bebê e à gestante.

Pelo projeto, mães consumidoras de crack passarão por um processo de conscientização sobre os males causados pelo entorpecente como o nascimento prematuro ou crescimento comprometido do bebê.

Entre os riscos, estão ainda a síndrome de abstinência do feto ainda no ventre e após o nascimento, problemas neurológicos como hidrocefalia e diversos transtornos mentais e comportamentais, além do aborto. A proposta é da deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB).
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)