Conclusões de um laboratório ajudam as autoridades de SP a identificar caminho das drogas

Jornal Nacional
SP: equipamento ajuda autoridades a identificar caminho das drogas

Buscar o máximo de informações em amostras de drogas. Esse é o trabalho dos peritos do laboratório de entorpecentes do Instituto de Criminalística de São Paulo.

Conclusões obtidas num laboratório estão ajudando as autoridades de São Paulo a identificar o caminho das drogas que chegam ao estado.

Buscar o máximo de informações em amostras de drogas. Esse é o trabalho dos peritos do laboratório de entorpecentes do Instituto de Criminalística de São Paulo. É de lá que saem dados específicos que vão orientar as operações da polícia paulista de combate ao tráfico nas divisas do estado.

Por ano passam pelo laboratório 110 toneladas de cocaína e 120 de maconha.

Primeiro, os peritos confirmam se o que foi apreendido é mesmo entorpecente. Depois analisam o grau tóxico. Mas o que mais interessa é o perfil da droga.

O equipamento mais moderno do laboratório dá uma informação muito importante para a autoridade policial. Por exemplo, para o delegado que fez a apreensão. Ele analisa todo tipo de amostra de drogas químicas – cocaína, ecstasy, LSD. E, ao final da análise, ele revela no computador o grau de pureza da droga. E, no combate ao tráfico de entorpecentes, esse dado é precioso.

“O grau de pureza, ele contribui na investigação criminal, porque quanto mais pura for a droga, mais próximo de um grande traficante o delegado está”, afirmou José Luiz da Costa, perito criminal.

A outra pesquisa para concluir o perfil químico da droga quem faz é a polícia dos Estados Unidos, num intercâmbio firmado no começo deste ano com o Instituto de São Paulo. Pelas amostras, os peritos americanos conseguem descobrir a origem da droga. A polícia paulista já sabe, por exemplo, que, no caso da cocaína, 80% vêm do Peru e da Bolívia e 20% da Colômbia. No ano que vem, o perfil da droga será feito todo no instituto, com a chegada de novos equipamentos.

“Esse perfil químico completo ele ajuda a orientar, ajuda a gente a entender de onde efetivamente estão vindo as droga pra dentro do país, pra dentro do estado de São Paulo. O combate vai ficar mais eficiente porque tem todo um trabalho de inteligência por trás da operação policial”, disse o perito.
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas