Estado terá plano de políticas públicas sobre drogas

Governo do Estado de Santa Catarina
O 1º Encontro Catarinense de Políticas Públicas sobre Drogas será realizado de 27 a 29 de novembro, em Florianópolis, e terá como resultado o Plano Catarinense de Políticas Públicas sobre Drogas.

O Plano será baseado no trabalho intersetorial das instituições que participarão do encontro. Uma reunião nesta sexta-feira definirá os últimos detalhes do evento.

Ação intersetorial será debatida durante o 1º Encontro Catarinense de Políticas Públicas sobre Drogas, em Florianópolis

O 1º Encontro Catarinense de Políticas Públicas sobre Drogas será realizado de 27 a 29 de novembro, em Florianópolis, e terá como resultado o Plano Catarinense de Políticas Públicas sobre Drogas. O Plano será baseado no trabalho intersetorial das instituições que participarão do encontro.

Entre os objetivos estão a criação de condições de trabalho entre os diversos órgãos governamentais para discussões e alinhamentos referentes às ações de enfrentamento às drogas; a promoção de reuniões e eventos periódicos para discussão de novas estratégias; a melhoria na qualidade de vida dos usuários e o fortalecimento dos vínculos familiares; além da inserção ou reinserção do usuário no mercado de trabalho e no contexto social.

Durante o evento cada grupo de trabalho vai sugerir três ações estratégicas e diretrizes para elaboração do plano. A ideia é partir do que cada instituição já tem e agregar novos projetos por meio de ações conjuntas para aprimorar o enfrentamento às drogas em Santa Catarina.

O secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), João José Cândido da Silva, ressaltou que este é um grande passo para que o Estado possa avançar em propostas de enfrentamento a este problema que afeta tantas famílias catarinenses. “A articulação é fundamental para que possamos acolher este usuário e garantir um tratamento digno”, disse. “Nossa atuação deve ocorrer em conjunto com as demais secretarias”, ressaltou.

Participam do encontro representantes das Secretarias de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), da Saúde, Educação, Justiça e Cidadania, Segurança Pública, Casa Civil , além do Conselho Estadual de Entorpecentes (Conen), Cruz Azul, Associação Catarinense de Comunidades Terapêuticas e Federação Catarinense de Comunidades Terapêuticas, Prefeitura de Florianópolis e Frente Parlamentar de Combate e Prevenção às Drogas/da Assembleia Legislativa de SC (Alesc).

Na Assistência Social a atuação ocorre por meio dos 342 Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e dos 86 Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) num trabalho de orientação e encaminhamento junto às famílias. Também existem cinco Centros de Referências Especializados para Atendimento da População em Situação de Rua (Centro POP). “O uso, abuso e dependência química podem refletir na qualidade de vida das famílias porque, muitas vezes, dificulta as relações intrafamiliares e o aumento da ocorrência de situações de violência”, disse a Diretora de Assistência Social da SST, Simone Machado.

Cada Secretaria ou instituição que participa do 1º Encontro Catarinense de Políticas Públicas sobre Drogas tem ações diretas ou indiretas relacionadas à questão das drogas.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)