Fumantes em Manaus chegam a 180 mil pessoas, aponta pesquisa

G1
Nos últimos anos, foram inaugurados 14 ambulatórios específicos. Tabagismo pode desencadear doenças cardíacas e respiratórias.

Aproximadamente 180 mil manauenses são fumantes, o que configura 11,9% da população da cidade, de acordo com pesquisa do Ministério da Saúde. Essa alta incidência de dependentes acaba aumentando também os números relacionados às doenças causadas pelo tabagismo, segundo a coordenadora do Programa Municipal de Prevenção e Controle do Tabagismo, Marlene Lessa.

Em entrevista ao G1, Lessa destacou que aproximadamente 95% dos casos de câncer de pulmão são causados pelo tabagismo. “Ele também está relacionado ao câncer de mama e de colo de útero, o qual, aliás, o Amazonas tem a maior incidência no país. Além disso, o tabagismo está relacionado a problemas cardíacos e respiratórios”, apontou.

Desde 2005, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) já inaugurou 14 ambulatórios para tratamento de fumantes na capital amazonense. O mais recente foi aberto na terça-feira (26), na Unidade Básica de Saúde Dr. José Amazonas Palhano, localizada no bairro de São José Operário II, Zona Leste da cidade. “Nessas unidades, o usuário recebe a atenção de uma equipe multidisciplinar – formada por médico, enfermeiro, assistente de enfermagem, psicólogo e assistente social. O serviço é gratuito, e qualquer pessoa que quer parar de fumar pode nos acionar, no telefone 0800-2808280”, informou Lessa.

Segundo a enfermeira, desde 2007, quando foram inauguradas as primeiras unidades, 60% das pessoas atendidas no ambulatório já conseguiram parar de fumar. “Outra ação importante é a realização de exames gratuitos relacionados a outras neoplasias causadas pelo tabagismo, como o câncer de mama. A mamografia é simples e pode salvar vidas”, acrescentou.

Lessa destacou ainda que a maioria dos pacientes atendidos nos ambulatórios tem idade entre 40 e 55 anos. “Essa é a idade em que os prejuízos do cigarro começam a ser sentidos. A pessoa apresenta dificuldade até para subir uma escada e se sente obrigada a procurar ajuda”, contou.

No ambulatório, o fumante faz testes de esforço respiratório, que verificam se ele já tem alguma doença relacionada ao vício.

Conscientização

Além dos exames e do tratamento em unidades de saúde, a coordenadora ressaltou a importância de promover orientações em escolas. De acordo com Lessa, cerca de 90% dos fumantes começaram com o vício ainda na adolescência. “Fazemos palestras nas 86 escolas do programa Saúde na Escola, mostrando que é fundamental prevenir e prover o acesso ao tratamento”, disse. No entanto, a enfermeira afirmou que é raro o atendimento a adolescentes nos ambulatórios.

Dados

Ainda segundo a coordenadora, a mortalidade por doenças diretamente relacionadas ao tabagismo tem aumentado nos últimos anos. “Temos uma incidência grave de infarto em pessoas jovens. Além disso, 75% das mortes por doenças obstrutivas pulmonares crônicas e 25% por doenças cardíacas são causadas por esse vício”, revelou.

De acordo com as estimativas mais recentes divulgadas pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2012, pelo menos, 160 homens e 120 mulheres devem ser diagnosticados com neoplasias pulmonares no Amazonas.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)