Cracolândia vai esperar a internação à força

Bom Dia
Previsto para ontem, tratamento sem o consentimento de viciados só deve começar na semana que vem

O início da internação compulsória (sem o consentimento) dos viciados em drogas das ruas da capital ficou para a semana que vem. De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo, questões burocráticas impediram que uma equipe composta por um juiz, um promotor e um advogado representante da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) estivessem de plantão desde ontem no Cratod (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas) no Bom Retiro, Centro.

A cooperação foi anunciada uma semana após a Operação Integrada Centro Legal, cujo objetivo era acabar com a concentração de viciados na Cracolândia, completar um ano. Na última sexta-feira, durante o lançamento da força-tarefa, o presidente do TJ paulista, desembargador Ivan Ricardo Sartori, disse que as internações “poderiam até começar na segunda (ontem)”.

No entanto, o Órgão Especial do TJ, composto por 25 desembargadores e responsável por referendar os juízes indicados por Sartori, reúne-se somente às quartas-feiras.

De acordo com o TJ, na reunião de amanhã os desembargadores vão discutir o tema. Portanto, legalmente ainda há brechas para o início da cooperação, que, segundo a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, devem ser preenchidas até a próxima segunda-feira, data prevista para o início das internações compulsórias.

Os desembargadores decidirão pela internação ou não do viciado mediante avaliação médica e pedido do Ministério Público Estadual.

A Secretaria Estadual da Saúde informou que o departamento já trabalhava desde a semana passada com a possibilidade de as blitze de internação compulsória não começarem ontem.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)