Ação contra uso de crack termina com 59 usuários acolhidos na favela Parque União

R7
Operação ocorre um dia depois que grávida de oito meses foi atropelada no local

Funcionários da Secretaria Municipal de Assistência Social recolheram 59 usuários de crack durante uma operação realizada na manhã desta quinta-feira (31) na região da favela Parque União, em Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro.

O serviço de abordagem social teve início às 3h e o acolhimento foi realizado por 17 profissionais entre eles assistentes sociais, educadores e psicólogos. Agentes da Guarda Municipal deram apoio a ação. Além da área anexa à Avenida Brasil, a operação percorreu localidades próximas, como a Praça das Nações, em Bonsucesso.

Todos os acolhidos foram encaminhados para as unidades de abrigamento da rede de proteção social do município.

Grávida atropelada

Nesta quarta-feira (30), uma mulher, grávida de oito meses, que seria usuária de crack, foi atropelada na avenida Brasil, na altura da favela Parque União. Ela entrou em trabalho de parto durante o atendimento no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, quando foi transferida para o Hospital Geral de Bonsucesso, também na zona norte.

Segundo a Polícia Militar, Isis ignorou a passarela da avenida Brasil e preferiu atravessar uma das vias mais movimentadas do Rio cruzando as pistas e correndo entre os carros.

Ainda segundo a polícia, a vítima tinha nas mãos uma sacola com objetos de plástico para reciclagem. Os usuários de crack da região têm como hábito juntar esse material para vender e comprar mais droga.

Ação em Copacabana

Nesta quarta-feira, uma ação para acolhimento de usuários de crack e população de rua, nos bairros de Copacabana e Leme, na zona sul do Rio de Janeiro, terminou com 68 recolhidos. A abordagem teve início às 4h. Um grupo formado por quatro assistentes sociais, uma psicóloga e 18 educadores percorreu as avenidas Atlântica, Princesa Isabel e Nossa Senhora de Copacabana, bem como as ruas Paula Freitas, Siqueira Campos, Hilário de Gouveia, Serzedelo Correia, Djalma Ulrich, Bulhões de Carvalho e Gustavo Sampaio.

Dos 68 recolhidos, 58 são adultos que aceitaram de forma voluntária o encaminhamento para o Abrigo Rio Acolhedor, em Paciência. Nove crianças e adolescentes (todos do sexo masculino) foram levados até a central de recepção carioca, no centro do Rio. Um idoso foi encaminhado para a central de recepção de adultos e famílias Tom Jobim, na Ilha do Governador, zona norte.

O serviço de abordagem teve o apoio da Guarda Municipal, da Comlurb e das Polícias Militar e Civil.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)