Esteróides e anabolizantes podem ser vilões para força e beleza

A busca pela força física e a beleza dos corpos cada vez mais vem extrapolando os limites das academias, dos clubes esportivos e dos exercícios físicos. Por vezes, ela pode escapar ao controle por parte do ser humano, levando a adoção de comportamentos prejudicais à saúde, como ocorre com o uso de esteróides/anabolizantes, que são hormônios sintéticos derivados da testosterona e que provocam o aumento da massa muscular e diminuição da gordura; mas causam muitos efeitos colaterais.

Esses compostos, que possuem sua venda e consumo proibidos no Brasil, a não ser para o tratamento de doenças muito específicas, vêm sendo cada vez mais utilizados indiscriminadamente e sem acompanhamento médico. Jovens saudáveis que querem ficar mais fortes e mais bonitos esteticamente, certos atletas que buscam aumentar seu desempenho em competições e os praticantes de fisiculturismo que procuram aumentar a massa muscular por um caminho mais fácil, são os grupos mais vulneráveis para o uso indevido destas substâncias.

No Brasil, segundo o VI Levantamento Nacional sobre o consumo de drogas psicotrópicas entre estudantes de ensino fundamental e médio, realizado em 2010, 1,4% dos alunos das redes pública e privada afirmaram ter usado esteróides/anabolizantes pelo menos uma vez na vida. Já entre os universitários, de acordo o I Levantamento Nacional sobre uso de álcool, tabaco e outras drogas com esta população, do mesmo ano, 3,8% já afirmaram ter usado ou usar o composto (acesse estas pesquisas: VI Levantamento Nacional sobre o consumo de drogas psicotrópicas entre estudantes de ensino fundamental e médio, I Levantamento Nacional sobre uso de álcool, tabaco e outras drogas).

Muitos desses jovens são incentivados a utilizar estas substâncias até mesmo por um treinador ou personal trainer, que desenvolveu “sua própria terapêutica”, indicando a quantidade que ele acha que dará mais resultado em cada jovem. Mas essa prática não tem nenhuma base científica e o treinador não sabe como a droga reagirá individualmente no organismo.

Outros são influenciados por amigos e conhecidos, e é por isso que principalmente em academias esse produto é muito procurado. Mas, o que esses jovens (principalmente homens na idade de 18 a 34 anos) não se dão conta é que o uso desses hormônios pode prejudicar em muito a saúde e trazer muitos efeitos indesejados.

Outro problema grave relacionado ao uso de anabolizantes é que, algumas vezes, ele pode levar ao uso de outras drogas, para, entre outros motivos, combater os sintomas de insônia e irritabilidade causados pelos EAA (Esteróides Anabolizantes Androgênicos).

Esse e outros exemplos nos mostram que realmente não vale a pena usar essas drogas para encurtar o esforço físico necessário para obter os resultados desejados, pois eles também acabam “encurtando” outros prazeres da vida e, muitas vezes, a própria vida.

Veja mais aqui:
10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Uso de Anabolizantes

I Levantamento Nacional sobre uso de álcool, tabaco e outras drogas entre universitários

VI Levantamento Nacional sobre o consumo de drogas psicotrópicas entre estudantes de ensino fundamental e médio
Autor: Adaptação em cima do texto de Jennifer Fogaça
OBID Fonte: Brasil Escola