Campanha reforça a importância da não ingestão de bebida alcoólica por motoristas

Com o tema é “Bebida e direção. Deixe essa mistura fora da festa”, foi lançada na última segunda-feira em Brasília(DF), a campanha que reforça a importância da não ingestão de bebidas alcoólicas pelos motoristas e visa a redução de acidentes causados por embriaguez no trânsito.

A Campanha reforça o que determina a Lei Seca e quer incentivar os motoristas que consumiram bebidas alcoólicas a voltarem para casa ou para onde estão hospedados de carona, ônibus ou táxi, mas nunca dirigindo. Com linguagem voltada para as festas de Carnaval, as peças publicitárias chamam atenção para as consequências do ato de dirigir alcoolizado.

A campanha faz parte, ainda, das ações do Programa Parada: Pacto Nacional para Redução de Acidentes – Um Pacto pela Vida. O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro e o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Júlio Arcoverde, lançaram a iniciativa durante entrevista coletiva.

Lei Seca

Na semana passada, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou a Resolução nº 432 que deixa a chamada Lei Seca (12.760/2012) mais rigorosa e não permite nenhuma quantidade de álcool no sangue do condutor. Esta também foi mais uma ação do Parada: Um Pacto pela Vida, que inclui campanhas educativas, de conscientização e de fiscalização.

Parada – Um Pacto pela Vida, lançada em setembro, é uma campanha permanente para diminuir em 50% o número de vítimas fatais no trânsito até 2015.

O Parada foi uma resposta do Brasil à Assembleia-Geral das Nações Unidas, que instituiu o período de 2011 a 2020 como a Década de Ações para a Segurança no Trânsito. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mostram cerca de 1,3 milhões de mortes no trânsito em 178 países, em 2009.

A iniciativa tem como meta a redução de 50% nos óbitos decorrentes de acidentes de trânsito, em 10 anos. A campanha brasileira visa articular a ação conjunta de órgãos e entidades de trânsito federais, estaduais e municipais, organizações não governamentais, do setor privado e da população brasileira.
Autor:
OBID Fonte: Portal Brasil