Câmara quer atuar no enfrentamento ao crack

Bom Dia
Sandro Bussola planeja ações de reinserção dos usuários com demais secretarias e ações dos vereadores

A Câmara de Bauru está mobilizada a participar do comitê de enfrentamento ao crack organizado pela Sebes através do programa “Crack: é possível vencer”, do governo federal.

Após o BOM DIA trazer a informação com exclusividade na edição de ontem, o presidente da Câmara, o vereador Sandro Bussola (PT), manifestou o interesse dos vereadores em participar do projeto compondo o comitê.

“A cidade como um todo deve estar empenhada no combate ao crack e a Câmara pode auxiliar nisso com projetos de lei e com parcerias firmadas entre o município e entidades”, pontuou o presidente.

O comitê, conforme informou a secretária do Bem-Estar Social, será composto por diversos segmentos da sociedade bauruense, entre a Polícia Militar, Civil e Federal, entidades sociais, representantes da Saúde, Educação e de outros segmentos.

No início da semana que vem, uma reunião irá iniciar a formação do grupo.

Sandro salienta que é de interesse dos vereadores participar de um projeto “importantíssimo”, em suas palavras, como esse. Ele já tem, inclusive, planos de ação.

“Estamos pensando na criação de um polo de apoio em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Município”, adianta.

A ideia, ele explica, seria viabilizar vagas de emprego aos usuários recuperados para que eles possam ser reinseridos na sociedade através do mercado de trabalho.

Sandro salienta a importância da união de forças. “Para que a gente possa enfrentar o problema a cidade precisa se mobilizar como um todo, disposta a uma grande discussão”, afirma o vereador.

Comitê/ Desde o ano passado, Bauru desenvolve ações pelo programa “Crack: é possível vencer”. As casas de passagem e os albergues noturnos recém inaugurados na cidade fazem parte do projeto.

Com a criação do comitê, a Sebes pretende criar uma força-tarefa para analisar, pensar e projetar as ações de combate.

Bauru tem hoje uma cracolândia por onde passam cerca de 70 usuários durante o dia e 150 pela noite, conforme o BOM DIA publicou em série de reportagens em outubro.
A secretária do Bem Estar Social, Darlene Têndolo, o vereador Sandro Bussola, e outras autoridades municipais entrevistadas pelo BOM DIA para a série consideram o crack o “maior desafio social” de hoje.

A ideia da secretária é que o comitê possa estar formado e atuando dentro de um mês.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)