Brasileiros consomem 18,5 litros de álcool puro por ano

Corpo Saun
Dados recentes apresentados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que os brasileiros consomem 18,5 litros de álcool puro por ano, se posicionando como o quarto país das Américas que mais consome álcool.

Também segundo a OMS, o álcool causa quase 4% das mortes no mundo todo, matando mais do que a Aids, a tuberculose ou a violência, sendo que hoje o impacto do abuso de álcool é considerado igual ao impacto da dependência em si, ou em outras palavras o alcoolismo.

O abuso do álcool é definido quando a pessoa ingere bebida alcoólica em doses maiores que cinco, em uma só situação. Esse dado é preocupante, já que revela que aquela pessoa que abusa de bebidas alcoólicas uma vez ou outra pode correr os mesmos riscos de vida do que uma pessoa dependente.

“Isso acontece por que o corpo de um abusador não está acostumado com o etanol, diferentemente do dependente”, aponta a médica psiquiatra Ana Cecilia Marques, pesquisadora da Unidade de Álcool e Drogas (Uniad) da Unifesp e especialista em dependência química da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead).

A médica Ana Cecilia explica que o órgão responsável por metabolizar o álcool é o fígado, e que ele só metaboliza em média uma dose de bebida alcoólica por hora (o que corresponderia por exemplo a uma lata de cerveja de 360ml, uma taça de vinho de 100ml ou 40 ml de destilado). Desta forma, se tomamos seis latas de cerveja nosso fígado irá levar seis horas para metabolizar todo o álcool presente em nosso corpo. “E enquanto o fígado metaboliza a primeira latinha, o resto do álcool fica circulando no sangue e intoxicando, causando alterações e danos em diferentes órgãos”, explica Ana Cecília.

Entre as diferentes partes do corpo que o álcool pode atingir está o sistema gastrointestinal, o sistema nervoso central, sistema renal, pulmões, sistema cardiovascular, sistema muscular, sistema hormonal. Segundo a médica, além disso, o álcool também altera a imunidade, abrindo caminho para o surgimento de outras doenças.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)