Estádios da Copa terão proibição contra o fumo nos eventos de 2013 e 2014

A FIFA e o Comitê Organizador da Copa do Mundo-2014 anunciou nesta quinta-feira, em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, que será proibido fumar nos jogos da Copa das Confederações deste ano e da Copa do Mundo de 2014.

Será a primeira vez que isso acontecerá em eventos esportivos disputados no Brasil. A decisão foi referendada pelo Board do Comitê Organizador Local (COL-2014) do Mundial, em conjunto com a Fifa.

– Será uma Copa sem fumo. O uso do tabaco pode prejudicar as pessoas no estádio. E não tem nada pior do que a pessoa fumando na sua frente nos estádios. Não será permitido fumar dentro dos estádios na Copa das Confederações e na Copa – disse Valcke, lembrando que esse tipo de proibição já foi adotada em outras ocasiões pelo organismo que controla o futebol mundial.

Com a proibição, a Fifa espera garantir um ambiente saudável aos torcedores que acompanharem as partidas dos dois importantes torneios em suas respectivas arenas.

– A Fifa reconhece que o uso e a exposição indireta ao fumo são prejudiciais e apoia os esforços globais da OMS com o genuíno interesse de promover a saúde e a segurança – completou o dirigente, que veio ao Brasil para se reunir com integrantes do COL, no Rio, onde discute problemas e avanços da preparação do País para a Copa das Confederações e a Copa de 2014.

Desde a Copa do Mundo-2010, na África do Sul, a Fifa voltou a adotar a medida, depois de ter sido duramente criticada por entidades como a União Internacional Contra o Câncer, por haver permitido fumar em estádios no Mundial anterior, em 2006, na Alemanha.

Em 2002, a Fifa havia assinado um acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) para adotar a proibição de fumar nos estádios do Mundial disputado naquele ano na Coreia do Sul e no Japão, mas não havia renovado a parceria para 2006 por pressão do governo alemão – que recolhe altas taxas de companhias de tabaco – e do comitê organizador local Alemanha-2006.

Segundo a Parceria Global Livre do Fumo, uma aliança dedicada a promover a política antitabagismo pelo mundo, mais de 5 milhões de pessoas morrem anualmente em consequência de doenças ligadas ao hábito de fumar, incluindo crianças de mães fumantes.
Autor:
OBID Fonte: Agências de Notícias