Estudo revela ingestão precoce de álcool entre jovens

Um levantamento feito pelo Hospital Universitário da USP revela que os jovens e adolescentes de 13 a 22 anos são os que mais procuram atendimento médico por causa de intoxicação aguda por ingestão de álcool.

De acordo com o estudo, o levantamento foi realizado com dados entre 2002 e 2010, onde foram feitos 1.370 atendimentos no Hospital da USP, e apontou que 35% dos casos apresenta ingestão do álcool entre os 14 e 18 anos, onde apresentou-se um aumento expressivo nesta faixa etária fato que mais preocupa os pesquisadores.

Segundo o pediatra João Paulo Becker Lotufo, a ingestão de álcool nesta idade faz com que o jovem tenha mais chance de se tornar um dependente e vir até perda de memória e dificuldade de aprendizado no futuro.

“Preocupa porque é uma ingestão de álcool muito precoce. Em um país que o álcool é proibido para menores de 18 anos, a gente está encontrando intoxicação e comas alcoólicos em adolescentes dessa idade. E acontece isso porque é da nossa cultura, em uma festa de 15 anos por exemplo você encontra bebidas já no esquenta e com a moda de misturar com energéticos, que mascara o álcool, o sujeito não percebe quanto bebeu”, disse o médico á TV Brasil.

O médico também comentou que quanto mais cedo o jovem começa a beber maiores as chances de se tornar um dependente. “Recomenda-se que comece a beber a partir dos 21 anos, quando o cérebro já está formado, antes disso, as bebedeiras podem causar lesão de neurônios, falta de memória e dificuldade de aprendizado”, concluiu Lotufo.
Autor:
OBID Fonte: TV Brasil