SP lançará cartão para financiar tratamento de usuários de crack

G1
Programa irá garantir R$ 1.350 mensais para pagamento de clínicas.
´Cartão Recomeço` será lançado na quinta no Palácio dos Bandeirantes.

O governo de São Paulo irá lançar nesta quinta-feira (9) um programa para ajudar a financiar o tratamento de dependentes químicos, conforme publicou nesta terça o site da revista “Época”.

Um funcionário do governo disse ao G1 que o benefício se chamará “Cartão Recomeço” e irá garantir R$ 1.350 mensais para serem usados exclusivamente no pagamento de clínicas credenciadas e especializadas na recuperação de usuários de drogas.

O programa deve ser lançado pelo governador Geraldo Alckmin em evento no Palácio dos Bandeirantes na quinta-feira. Inicialmente, serão atendidos 3 mil dependentes químicos.

A ideia do programa é conceder um cartão para os dependentes que aceitarem o tratamento voluntariamente. Ao apresentar o cartão nessas unidades, o usuário receberá o tratamento e o dinheiro será repassado do governo de São Paulo diretamente para a clínica credenciada.

O edital para as clínicas se credenciarem deve ser lançado nos próximos dias pelo governo. Clínicas em 11 cidades poderão participar: Diadema, Sorocaba, Campinas, Bauru, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, São José dos Campos, Osasco, Santos e Mogi das Cruzes.

Há cerca de um ano, a Prefeitura de São Paulo e o governo estadual intensificarem as ações contra o crack no Centro da capital paulista, na chamada Cracolândia. O Programa de Enfrentamento ao Crack na cidade foi lançado em janeiro pelo governador.

Uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo mostrou que o Brasil é o maior mercado mundial do crack, onde 2% da população faz uso da droga, número equivalente a quase 3 milhões de pessoas. De acordo com o estudo, o Sudeste concentra 46% dos usuários.

Samu
Uma parceria anunciada no fim de abril pelo governo do estado e a Prefeitura de São Paulo ampliou o programa do combate ao crack na capital paulista. Ele passou a contar com equipes do Serviço Móvel de Urgência (Samu) preparadas para o atendimento psiquiátrico de urgência.

Também está prevista a ampliação do número de Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (Caps Ad). Cinco novas unidades do serviço ambulatorial 24 horas para usuários de drogas devem começar a funcionar ainda este ano. Outras cinco unidades das que já existem e funcionam apenas durante o dia terão o horário ampliado até o final do ano. Em seguida, todos os Caps terão atendimento ininterrupto.

Os Caps Ad ficarão responsáveis por receber os pacientes, identificar o quadro clínico do usuário e apontar a necessidade de tratamento para os dependentes químicos. Esses centros também poderão receber os familiares dos usuários, mesmo dos que não estiverem presentes e em tratamento. Agentes comunitários e de proteção social irão abordar os usuários de crack moradores de rua, na tentativa de encaminhá-los para um serviço de saúde adequado.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)