Café pode causar distúrbios mentais e síndrome de abstinência

Quem já abusou de refrigerante, café ou energético sabe que o excesso de cafeína pode fazer mal ao estômago ou lhe privar de uma boa noite de sono. Contudo, de acordo com a nova edição do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (um manual referência para psicólogos e psiquiatras no tratamento de doenças mentais), exagerar nessa substância pode ter efeitos ainda mais sérios: transtorno mental temporário – e síndrome de abstinência também.

Entre os sintomas do excesso estão inquietação, nervosismo, excitação, rubor, desconforto gastrointestinal, espasmos musculares, confusão na fala, insônia e ritmo cardíaco alterado (e, em níveis extremos, morte). Quem sofre cinco ou mais desses sintomas pode estar com intoxicação por cafeína, e cortar (ou reduzir drasticamente) o consumo traz suas próprias complicações – como fadiga, dor de cabeça, dificuldade em se concentrar e depressão leve.

Há quem questione a inclusão da intoxicação e da abstinência no manual, alegando que é exagero. O psicólogo Alan Budney, que participou da elaboração da edição mais recente do documento, justifica a escolha.

“A cafeína invade nossa sociedade cada vez mais. Assim, há preocupação suficiente para considerar esse tópico com seriedade, mesmo que seja, provavelmente, uma das questões mais controversas enfrentadas pelo nosso grupo de trabalho”, diz.

Discussões como essa podem levar algumas pessoas a perguntar “afinal de contas, café faz bem ou faz mal?“, mas vale lembrar que os riscos não necessariamente eliminam os benefícios, e que o alerta feito é direcionado especialmente a quem consome cafeína em excesso.
Autor:
OBID Fonte: Hype Science