Jovens alertam sobre os perigos das drogas

Jornal da Manhã
Estudantes do 7º ano elaboram material informativo e promovem palestras para os alunos do 6º ano com o objetivo de conscientizar sobre o problema do crack em PG

Na edição do dia 17 de maio do Jornal da Manhã, a coluna GiroPolicial trazia a informação “PG é incluída em programa contra o crack”. O assunto levou os alunos do 7º ano do Colégio Estadual Ana Divanir Boratto, em Ponta Grossa, a refletirem sobre os usuários da droga no município e sobre colegas que abandonaram a escola por esse motivo. A discussão, mediada pelo professor de Arte, Everton dos Santos Oliveira, e pela professora de Língua Portuguesa, Josiane Kieras, resultou numa ação grandiosa: os jovens organizaram material de exposição e palestras para os estudantes mais novos, nas turmas do 6º ano.

Os alunos do 7º ano ´C` elaboraram cartazes mostrando os malefícios de cinco drogas: álcool, tabaco, maconha, cocaína e crack. Vídeos também foram exibidos para melhor exemplificar como as drogas podem prejudicar a vida dos usuários e de seus familiares. Inclusive, um dos alunos solicitou à diretora da colégio, professora Neide de Oliveira, que os vídeos fossem apresentados aos pais doas alunos. “O que nos leva a concluir que essa problemática do uso de drogas está muito mais próxima de nossos ´pequenos` do que podemos supor”, alerta a diretora.

Para finalizar a mobilização, os alunos do 7º ano D estão ensaiando uma peça teatral, sob orientação do professor Everton, retratando o drama real de um ex-colega do colégio que era um excelente e dedicado aluno e acabou abandonando os estudos por estar viciado em crack.
Com este trabalho, os professores conseguiram abordar um tema delicado entre os jovens: o problema que envolve o tráfico de drogas e usuários no próprio bairro [Vila Borato], motivando-os a conversar com os familiares a respeito. Além disso, eles compreenderam a importância da educação para evitar o contato com drogas.

“Através dessa atividade, os alunos se conscientizaram que precisam orientar os colegas mais novos, pois mais vale prevenir do que remediar, até porque o tratamento para se livrar das drogas é bastante complexo e são poucos os que têm determinação e força para largá-las”, colocam os professores responsáveis.

A diretora do colégio elogiou bastante a iniciativa dos alunos e chama a atenção dos professores: “Esta é a idade certa para orientarmos os jovens porque estão na fase da curiosidade sobre as drogas e também sofrem assédio por parte de traficantes e conhecidos usuários. Quanto mais cedo expusermos esses assuntos tão sérios a nossos alunos, melhor”, reforça.

>> Problema do crack
Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu são os cinco municípios paranaenses incluídos no programa “Crack, é Possível Vencer”. Trata-se de um Plano Nacional de repressão ao uso de crack. A pactuação das cidades ao programa aconteceu em maio pelo ministro da saúde, Alexandre Padilha, durante a inauguração do CAPS 24 horas do Boqueirão, em Curitiba.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)