Casa de acolhimento para usuários de drogas será entregue em julho

Cidade Verde
Em julho, Teresina contará com uma instituição inovadora no atendimento e tratamento aos usuários de drogas. Trata-se do Espaço de Acolhimento e Valorização da Vida do bairro Matadouro. O espaço, que funcionará 24 horas e contará com toda uma equipe de suporte especializado, será destinado a abrigar e acolher dependentes químicos do sexo masculino que solicitem tratamento para se livrarem do vício. O espaço está sendo estruturado pela Coordenadoria Estadual de Enfrentamento às Drogas (CEDrogas), com recursos do Tesouro Estadual.

“A nossa proposta é promover um cuidado com qualidade, onde o usuário se sinta acolhido, sem excluí-lo do convívio social”, explica o gerente de Políticas Públicas da CEDrogas, Ricardo Cruz.

O Espaço de Valorização da Vida do Matadouro terá capacidade para atender 30 dependentes químicos e contará com uma estrutura ampla e preparada para um atendimento 24h. A casa oferece acessibilidade para cadeirantes, quartos climatizados para os usuários e para o corpo técnico, refeitório, cozinha, salas de atendimento, banheiros, enfermaria, sala de informática e um espaço para dinâmica de grupo. Na parte externa, o local traz uma área destinada às atividades culturais e esportivas. Os muros foram todos grafitados com palavras que reforçam os vínculos e o processo de recuperação, como “vida”, “fé”, “amor”, “família”.

O atendimento que será oferecido contará com profissionais especializados como psicólogo, assistente social, educadores e enfermeiro. O tempo de tratamento será de seis meses.

Rede de acolhimento

O prédio que abriga o Espaço de Acolhimento e Valorização da Vida do bairro Matadouro é uma das quatro casas que estão sendo completamente reformadas para dar apoio aos usuários de drogas da capital. A reforma e ampliação está sendo executada pela Secretaria Estadual da Infraestrutura (Seinfra).

As outras três casas de Acolhimento ficam nos bairros do Centro, Ilhotas e Cidade Jardim. Essa última será destinada ao atendimento de dependentes químicos do sexo feminino. Os dois primeiros serão espaços comunitários de valorização da vida, que trazem como diferencial o envolvimento de lideranças comunitárias e um trabalho focado na prevenção.

“A ideia é envolver a comunidade no sentido de orientá-la. É preciso que ela possa receber e acolher melhor os dependentes químicos do seu entorno, em vez de apenas discriminá-los”, afirma Cruz.

Descentralização

Além da implantação de espaços de acolhimento estaduais, a CEDrogas vem investindo na descentralização das ações. Estão sendo realizadas visitas aos principais municípios do interior do Piauí. O objetivo é estabelecer estratégias de enfrentamento ao problema das drogas de acordo com a demanda de cada localidade.

Castelo do Piauí, Pedro II, Oeiras e Floriano já receberam a visita dos técnicos da CEDrogas. Na ocasião, foram feitas reuniões envolvendo a prefeitura e representantes de instituições que trabalhem com a questão das drogas no município. A meta é chegar a todo o interior do Piauí.

Atendimento facilitado

No fim da próxima semana, a Coordenadoria Estadual de Enfrentamento às Drogas terá o seu atendimento facilitado. Localizada, atualmente, no 6° andar do prédio da antiga Telepisa, na av. Antonino Freire, 1450, no Centro de Teresina, a Coordenadoria passa a funcionar no 1° andar do mesmo prédio, promovendo facilidade no acesso e uma estrutura física mais adequada ao atendimento dos usuários e seus familiares. Com a mudança, a CEDrogas teve ampliada também o número de salas para atendimento individual, permitindo maior conforto e discrição.

A CEDrogas foi criada em 2011, e é um dos primeiros órgãos estaduais do Brasil a desenvolver uma política pública voltada para a coordenação de ações de atendimento e tratamento de dependentes químicos. O papel da Coordenação não é só instituir ações de enfrentamento aos problemas decorrentes do uso abusivo das drogas, mas, principalmente, integrar as ações desenvolvidas e executadas pelas outras secretarias estaduais.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)