Cigarro e álcool agravam casos de câncer, diz estudo

Um levantamento do Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo) divulgado no Dia Mundial de Combate ao Câncer, revelou que boa parte dos tumores na bexiga, cabeça e pescoço tem relação com cigarro ou álcool. Setenta por cento dos casos de câncer na bexiga tem ligação com o tabagismo.

Segundo o levantamento do Icesp, um em cada sete pacientes com câncer de bexiga informaram aos médicos que fumam ou já fumaram. O tabagismo é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença.

Já 30% dos pacientes operados de tumores na cabeça e pescoço podem ter desenvolvido o câncer na orofaringe (boca, garganta e faringe) em decorrência de infecção pelo HPV (papiloma vírus humano). Anualmente, o Icesp recebe cerca de 1.200 novos casos cirúrgicos de câncer relacionados ao HPV. Parte destas notificações poderia ser evitada com o uso de preservativos nas relações sexuais.

Álcool

A ingestão de bebida alcoólica também tem relação com os casos de câncer diagnosticados no instituto. Entre todos os pacientes atendidos na unidade, 11% assumiram ter adotado (ou ainda manter) um perfil de dependência alcoólica. Destes, um em cada sete desenvolveram tumores na região da boca e garganta.

Semanalmente, o setor de oncologia clínica recebe de 5 a 10 novos casos de câncer nesta região do corpo. Apesar dos tumores apresentarem detecção precoce facilitada, por estarem em locais visíveis, a grande maioria dos pacientes do Icesp descobre a doença quando ela já está em estágio avançado.
Autor:
OBID Fonte: SP Notícias