Álcool e cigarro são as drogas que predominam nas empresas

Diário do Grande ABC
Para 31% dos brasileiros, os principais problemas que o mundo enfrenta atualmente são aqueles relacionados às drogas e ao tráfico. Em segundo lugar estão o crime e a violência, segundo pesquisa do Ibope em parceira com a WIN (Worldwide Independent Network of Market Research). Dentro das empresas, a situação não é diferente. O álcool e o cigarro são as drogas que predominam.

De acordo com o Relatório Mundial de Drogas de 2012, divulgado pela UNODC (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime), 230 milhões de pessoas, o que equivale a 5% da população mundial adulta, já fizeram uso de drogas pelo menos uma vez.

Segundo Elaine Zingari, assistente social especialista em saúde pública do CRESS-SP (Conselho Regional de Serviço Social do Estado de São Paulo) que atua com redução de danos aos usuários de drogas em Diadema, nas empresas e fábricas, o dependente de drogas lícitas ou ilícitas tem 3,6 vezes mais chance de causar acidentes no trabalho, pode faltar sem justificativa 2,5 vezes a mais, utiliza-se dos benefícios médicos três vezes mais, tem a capacidade produtiva reduzida para 67% e é punido disciplinarmente sete vezes mais.

Pensando nisso, e unindo também às reivindicações das lutas sociais, empresas passaram a adotar algumas iniciativas. “As multinacionais norte-americanas iniciaram programas de prevenção e tratamento do alcoolismo nas empresas baseados no EAP (Employee Assistance Program – Programa de Assistência ao Empregado), cujo objetivo era identificação e tratamento de empregados dependentes de álcool.”

No Brasil, os estudos nessa área ainda são poucos, de acordo com Elaine. “O modelo adotado por essas empresas, que muitas vezes dispõem de convênios médicos, é a internação dos usuários em comunidades terapêuticas, que pregam a abstinência como único caminho para manter esse trabalhador produtivo, desconsiderando uma discussão mais ampla que contemple as possíveis causas do adoecimento.”

Em relação à prevenção, seguindo a legislação trabalhista, as empresas realizam anualmente a SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho). Nesses dias são agendadas atividades e palestras relacionadas aos acidentes e doenças no ambiente do trabalho.

Relatório Mundial de Drogas 2013 – No dia em que se celebra o Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e o Tráfico de Ilícitos, a UNODC lança, nesta quarta-feira, a edição anual do Relatório Mundial de Drogas.

O documento afirma que a situação do uso de drogas no mundo permanece estável. A utilização simultânea de medicamentos e substâncias ilícitas, no entanto, é preocupante. “Mais de 60% dos países cobertos pelo relatório classifica essas substâncias [sedativos e tranquilizantes] entre os três tipos de substâncias mais usados indevidamente.”

A maconha continua sendo a droga mais utilizada no mundo, com 180,6 milhões de usuários, o que corresponde a 3,9% da população de 15 a 64 anos. As apreensões em 2011 no Brasil somaram 174 toneladas.

Veja Aqui Relatório Mundial sobre Drogas 2013 do UNODC

Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)