Estudantes fazem mobilização contra as drogas em Itararé, SP

G1
Evento reuniu aproximadamente mil pessoas na escola Heitor Cortez.
Alunos fizeram apresentações e um minuto de silêncio.

Nesta quarta-feira (26), foi celebrado o Dia Mundial de Combate às Drogas. Em Itararé (SP), estudantes marcaram a data com atividades diversas como leitura de poemas, musica e dança, um minuto de barulho seguido de um minuto de silêncio. Mais de mil pessoas participaram do ato.

A mobilização ocorreu na escola municipal Heitor Guimarões Cortez. Além dos estudantes, participaram professores, guardas municipais e guardas mirins.

O evento recebeu o nome de ‘Itararé Unida – Um Minuto Pela Vida’. No momento mais importante, todos juntos fizeram um minuto de barulho com apitos, instrumentos e até mesmo aos gritos. Em seguida, de mãos dadas, um minuto de silêncio para reflexão.

De acordo com o coordenador das atividades, o GM Alisson Riveli, o minuto de silêncio foi uma estratégia para fazer os participantes a pensarem sobre o momento e a discussão que era feita. “Com esse momento de reflexo, pudemos levar para as crianças a importância deles estarem se valorizando, se amando, se respeitando e que este amor próprio é a garantia de que eles vão estar longe das drogas”, comenta.

Segundo os organizadores a população atendeu ao chamado para o ato de reflexão. As igrejas tocaram os sinos, as viaturas policiais ligaram as sirenes e no comércio, os funcionários se manifestaram. Todos juntos por uma causa: a prevenção às drogas.

De acordo com a prefeitura de Itararé, Cristina Ghizzi, por meio deste tipo de encontro é possível alertar as crianças, adolescentes e jovens sobre os malefícios do uso de drogas. “Isso é uma forma de fazer com que eles se informem e se formem para ficarem cada vez mais afastados das drogas”, diz.

Os estudantes se divertiram e tiveram a oportunidade de saber um pouco mais sobre drogas, álcool e o cigarro. Para a diretora da escola, o próximo passo agora é fazer com que as famílias assumam o papel que têm na prevenção. “Toda a cidade se mobilizou para esse evento. O que nos gostaríamos que acontecesse agora era que as famílias tomassem consciência da sua parte”, ressalta.

Os alunos demonstraram que já sabem sobre o que são as drogas e o mal que elas representantes para a saúde e para a sociedade. “As drogas causam danos à saúde e devemos sempre nos afastar”, diz a estudante Gabriela Aparecida Tomé.

Já o estudante Marcos Antunes Neto comenta sobre a oferta. “As pessoas vão oferecer para todo mundo, isso faz parte da vida, no entanto, você é quem precisa falar não. As drogas fazem mal e podem até matar”, destaca.

“Não adianta só os pais falarem para não usarmos drogas. Tem que também haver eventos como esse, como o momento de barulho, que representa mesmo o que a gente está fazendo de errado. Temos que honrar a família, temos que honrar esse nome”, destaca a estudante Maria Fernanda Leal Pinheiro.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)