Largar cigarro aos 30 anos aumenta vida em 10 anos, dizem médicos

Até apagado, o cigarro libera substâncias que prejudicam a saúde. Aceso, então, são quase 5 mil componentes tóxicos, responsáveis por quadruplicar o risco de morte por doenças cardiovasculares, como infarto e derrame cerebral.

Além disso, uma em cada cinco mortes por problemas no coração ou no sistema circulatório é causada pelo fumo. E até fumantes passivos sofrem: 30% mais riscos de uma doença cardíaca.

Os cardiologistas Roberto Kalil e Jaqueline Issa explicaram nesta terça-feira os malefícios que o cigarro provoca ao coração e a outros órgãos, como câncer. Os médicos também destacaram o quanto é possível ganhar de expectativa de vida ao largar o cigarro, dependendo da idade de cada pessoa ao parar.

Cigarro eletrônico e outros

A venda de cigarro eletrônico é proibida no Brasil, mas há quem traga o produto do exterior ou compre pela internet. Não há evidências científicas de que o cigarro eletrônico ajude a parar de fumar, pelo contrário: acredita-se que ele possa até fazer mal à saúde.

Outros tipos de cigarro mais “fracos”, com menor teor de nicotina, também não resolvem o problema, pois não há níveis seguros dessas substâncias no sangue. Por isso, narguilé, cachimbo, charuto, cigarro de palha e outros tipos não são indicados.

Segundo os médicos, parar de fumar é mais barato do que usar remédios para o coração. Nesse processo, é aconselhado usar medicamentos contra a ansiedade, aconselhamento psicológico e reposição de nicotina, por adesivos na pele, goma de mascar ou outros meios.

Parar sozinho também é possível, mas mais difícil – por essa razão, quem quiser mesmo deixar o cigarro, é importante procurar ajuda.
Autor:
OBID Fonte: Globo.com