Dependentes de crack se espalham por vários bairros e regiões de SP

Bom Dia Brasil
Na Praça da Sé, que é o marco zero da cidade, moradores e comerciantes relatam que os usuários passam praticamente o dia todo na região.

Um levantamento feito por um Instituto ligado à Universidade Federal de São Paulo mostra que o Brasil é o maior consumidor mundial de crack.

Uma pesquisa nacional sobre o perfil desses usuários ainda está sendo finalizada pela Secretaria de Políticas sobre Drogas do Governo Federal.

Em São Paulo, desde que o governo começou o programa de atendimento médico na região da cracolândia, os dependentes de crack se espalharam por vários bairros e regiões de São Paulo, principalmente a região Central.

Na Praça da Sé, que é o marco zero da cidade, a manhã desta segunda-feira (15) não se consegue identificar nenhum grupo de usuário de crack, mas há relatos de moradores e de comerciantes que eles passam praticamente o dia todo aqui. Um grupo de 60 pessoas. Uma curiosidade: por lá ficam o Tribunal de Justiça de São Paulo, passam muitos turistas, lá fica o quartel do Corpo de Bombeiros e também tem um posto da Polícia Militar.

Esses usuário de crack também são vistos em bairros de São Paulo, como, por exemplo, Jabaquara e Brooklin, na Zona Sul.
Só para lembrar, nesse programa do governo a internação compulsória, que é a internação sem autorização do usuário de crack só pode ser pedida por um juiz.

Um levantamento feito por um Instituto ligado à Universidade Federal de São Paulo descobriu que o Brasil é o maior consumidor mundial de crack e com a determinação de um médico que deve atestar que esse usuário não tem domínio sobre essas condições psicológicas e físicas.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)