Drogas são as responsáveis pela maioria das mortes em Nova Serrana

G1
De janeiro ao começo de julho deste ano 19 pessoas foram assassinadas.
A maior parte dos crimes foi cometido por pessoas de outras cidades.

O mais recente relatório da Delegacia da Polícia Civil sobre o número de homicídios em Nova Serrana mostra que de janeiro até o dia 15 de julho deste ano 19 pessoas foram assassinadas na cidade. Desse total de mortes, a maioria das vítimas tinha envolvimento com drogas, segundo a delegada Elenita Batista Lopes. “Adolescentes e jovens são assassinados diariamente e as informações repassadas à polícia por familiares, vizinhos e outras testemunhas são de que tinham envolvimento com droga”, afirmou.

A delegada disse, ainda, que o alto índice de criminadade em Nova Serrana pode estar ligado ao grande número de migrantes na cidade, já que milhares de pessoas saem anualmente de regiões pobres como o Norte do estado e o Nordeste do país, em busca de oportunidades de trabalho no setor calçadista, que conta hoje com mais de 380 empresas no ramo, segundo o Sindicato Intermunicipal da Indústria do Calçado de Nova Serrana (Sindinova). “O índice de violência está atrelado a esse fluxo de migrantes, pois muitas vezes vêm sozinhos para trabalhar e constatamos que ao perder o vínculo familiar e frequentar grupos da cidade, acabam se tornando vulneráveis e, infelizmente, muitos de fato acabaram se envolvendo no mundo do crime”, disse.

A socióloga Batistina Corgozinho concordou com a opinião da delegada e afirmou que essa população flutuante no município acarreta um problema de planejamento do município em áreas como a segurança, por exemplo. “Além de não terem vínculos familiares, essas pessoas saem de uma situação de muita pobreza e de um ambiente social marcado por muita violência. E às vezes trazem consigo essas questões, que acabam sendo culturais e se envolvem com o crime, que dá uma vida fácil. Além disso, como são muitos migrantes, traçar paralelos e planejar ações, se torna uma tarefa difícil, pois não se sabe a real população da cidade, é preciso números para se planejar”, refletiu.

“Com certeza é difícil fazer planejamentos, inclusive de segurança. Não sabemos com que população estamos lidando”, reforçou a delegada.

Maioria de presos não são de Nova Serrana

De acordo com o diretor geral do Presídio de Nova Serrana, Gilmar Oliveira, na cidade há 179 presos, mais de 100 são de outras cidades. “Com certeza a maioria deles é de fora, são migrantes. A segurança de Nova Serrana é um desafio para as autoridas em geral, com certeza o assunto é preciso ser tratado com atenção”, afirmou.

No mês passado, o chefe da Polícia Civil no estado, Cylton Brandão, afirmou durante uma reunião da Cúpula da Defesa Social, que um dos maiores problemas, que acarretam crimes contra a vida é o envolvimento dos jovens com o tráfico de drogas. A reunião foi realizada para discutir estratégias para combater a criminalidade na região. Nessa ocasião ele ressaltou que órgãos de inteligência da Polícia Civil já estão trabalhando com estratégias de combate ao crime. “Temos ação e planejamento para o combate mais eficaz ao tráfico de drogas. É um trabalho que já está sendo desenvolvido pela Polícia Civil, principalmente pelos órgãos de inteligência”. afirmou.

Ainda durante o encontro, o Secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, anunciou novidades para o Centro-Oeste. “De imediato temos condição de implantar o Batalhão. No ano que vem os efetivos da Polícia Civil serão suficientes para a implantação da Delegacia Regional. Uma outra medida importante para Nova Serrana é a implantação do Presídio”, afirmou.

O secretário de comunicação do município, Lázaro Camilo, comentou sobre a importância do Batalhão no município. “Com a implantação do Batalhão aqui na cidade, acredito que a tendência será melhorar, com certeza, esse alto índice de violência. Teremos um contingente melhor, mais militares nas ruas e isso desestimula a ação de criminosos”, ressaltou.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)