Conselho Superior de Segurança debate tráfico de drogas e suposta atuação de facção criminosa no Tocantins

Surgiu.com
Na reunião os conselheiros e convidados debateram sobre a problemática do tráfico de drogas no Tocantins

Membros do Conselho Superior de Segurança Pública do Estado reuniram-se nesta quarta-feira, 2, na sede do Ministério Público do Estado, em Palmas, para debater o combate ao tráfico de drogas e a suposta atuação de facção criminosa no Tocantins.

A reunião foi presidida pelo procurador de Justiça José Omar de Almeida Júnior, e contou com a participação dos secretários de Defesa Social, Nilomar dos Santos Farias; de Segurança Pública, José Eliú de Andrada Jurubeba; da procuradora-geral de Justiça do Tocantins, Vera Nilva Álvares Rocha Lira; do secretário municipal de Segurança, Defesa Civil e Trânsito, coronel José Ribamar Amorim, e de representantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Casa Militar, Procuradoria Geral, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – seccional Tocantins e Polícia Federal.

Na reunião os conselheiros e convidados debateram sobre a problemática do tráfico de drogas no Tocantins. Em sua fala, a defensora pública Letícia Amorim ressaltou a necessidade de discutir com mais atenção as punições aos usuários de drogas, que muitas vezes acabam por sobrecarregar as cadeias públicas e presídios em todo o país. Sobre a questão, foi proposto pelo secretário de Defesa Social, Nilomar dos Santos Farias, a promoção de mutirão para revisão das penas dos detentos.

Ainda na temática do combate às drogas, o secretário municipal de Segurança, Defesa Civil e Trânsito, coronel José Ribamar Amorim sugeriu a realização de discussões sobre a venda de entorpecentes nas portas e dentro das escolas da Capital. Representando a OAB/Tocantins, o advogado Túlio Jorge Ribeiro Magalhães Chegury propôs a análise e elaboração em conjunto de um projeto voltado ao combate às drogas dentro das instituições de ensino. O tema deve ser debatido na próxima reunião do conselho, prevista para o mês de novembro.

Outro tópico discutido na reunião foi a suposta atuação de facção criminosa em unidades prisionais do Tocantins. Durante o debate, o promotor de Justiça de Araguaína, Benedito Guedes falou sobre a possibilidade de detentos liderando movimentos na Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota e sugeriu que seja feito um reforço dentro das unidades para combater o problema.

Na ocasião, o coordenador de Inteligência Penitenciária da Secretaria de Defesa Social, Renato Mendes, apresentou ao Conselho informações relacionadas ao monitoramento, intensificado desde 2006 nas unidades, para impedir a instalação de qualquer movimento criminoso nos presídios. Segundo o diretor, o governo já elaborou a criação dos núcleos de inteligência dentro das unidades e capacitará 40 agentes para reforçarem o monitoramento. Informações que foram confirmadas pela delegada chefe da Polícia Civil do Tocantins, Fátima Holanda. “Está sendo instituído, através de parceria entre as secretarias de Segurança Pública e Defesa Social, um grupo de atuação, composto por quatro delegados, que vão atuar especificamente no serviço de inteligência de monitoramento aos detentos nas cidades de Gurupi, Palmas, e Araguaína”.

Sobre o assunto, Nilomar Farias afirmou que o crime organizado não está instalado nos presídios do Tocantins. “Membros das secretarias de Segurança Pública e Defesa Social, que atuam nos setores de inteligência, monitoram todas as atividades dos detentos dentro dos presídios, por meio de interceptações telefônicas e outras ações. Com isso, tomamos, de pronto, todas as medidas administrativas necessárias, diante de qualquer possibilidade de estabelecimento de lideranças dentro das unidades. O que precisamos é mais agilidade. A movimentação dos presos tem que ficar a cargo do sistema penitenciário. Muitas vezes esse trabalho sofre interferência com a decisão de juízes e se mudarmos isso, a ação de quebrar mobilizações dentro das unidades será agilizada”, destacou o secretário de Defesa Social.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)