fbpx

Brasil e Europa estão na vanguarda do controle do tabaco

A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, Margaret Chan, afirmou que a União Europeia está na vanguarda do controle do tabaco.

Chan elogiou a decisão da UE de atualizar as normas que regulam os produtos derivados do tabaco. Segundo ela, essas normas foram adotadas pelas autoridades do continente em 2001, antes mesmo da criação da Convenção da OMS sobre o Controle do Tabaco, em 2003.

Falhas
A medida da União Europeia servirá para corrigir as falhas verificadas no documento de 2001.

A OMS afirma que mais de 700 mil pessoas morrem todos os anos no continente pelo uso de produtos derivados do tabaco e também por serem fumantes passivos, aqueles que respiram a fumaça do cigarro.

Chan disse que as normas da União Europeia vão não somente ajudar a salvar vidas e proteger os jovens contra o vício mas mostrarão ao mundo que a UE continua sendo uma grande aliada na luta contra a epidemia do tabaco.

Brasil
Nos último anos, a situação melhorou no Brasil. A afirmação foi feita em entrevista à Rádio ONU, do Rio de Janeiro, pela coordenadora do Centro de Estudo sobre tabaco e saúde da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, Vera Luiza da Costa e Silva.

“No Brasil a gente sofreu uma queda imensa de consumo. A gente tinha 84% e hoje a gente tem menos de 15% de consumo no país. Isso foi graças à uma série de políticas que foram implementadas pelo governo. Isso mesmo levando em conta que o Brasil é o segundo maior produtor e o maior exportador de folha de tabaco do mundo.”

Ela falou ainda sobre os gastos de saúde no país.

“Tem um estudo no Brasil que mostra isso, que gastos pelo sistema único de saúde no tratamento de doenças relacionadas ao tabaco são maiores do que a arrecadação de impostos pelo Brasil.”

Século 21
Segundo a OMS, a epidemia do tabaco já matou mais de 100 milhões de pessoas no século passado e pode matar mais um bilhão no século 21 se os países não implementarem as medidas da Convenção.

A diretora-geral encorajou os parlamentares europeus a permanecerem firmes para reduzir o número de mortes causadas pelo tabaco ou pela exposição à fumaça.
Ela afirmou que a indústria do fumo está, mais uma vez, fazendo um esforço extraordinário para evitar que seus produtos sejam regulados.

Chan disse que as companhias estão usando um grande argumento econômico porque ele é eficaz para mudar o foco da saúde, principalmente em tempos de austeridade financeira.
Autor:
OBID Fonte: CBN Foz