Prefeito de NY proíbe venda de cigarros para menores de 21 anos

O Globo
Em cruzada contra o fumo, Michael Bloomberg sobe também o preço do maço

A pouco mais de um mês de encerrar seus 12 anos à frente da prefeitura de Nova York, Michael Bloomberg sancionou nesta terça-feira uma lei que proíbe a venda de tabaco para menores de 21 anos. Na última das muitas iniciativas relacionadas à saúde pública que ajudaram a definir a era do prefeito, a cidade tornou-se a primeira dos Estados Unidos a impedir que jovens adultos comprem cigarros.

Embora os adolescentes ainda possam portar tabaco legalmente, a expectativa, disse Bloomberg, é evitar que os nova-iorquinos experimentem cigarros na idade em que são mais propensos ao vício. Pesquisas indicam que 80% dos fumantes desenvolvem o hábito antes dos 21 anos.

O prefeito também fixou um piso alto para o preço do maço de cigarros, que passará a custar no mínimo US$ 10,50. Bloomberg – que em janeiro entregará a cidade ao democrata Bill de Blasio – já proibiu o fumo em lugares públicos fechados (numa lei que completou uma década este ano e foi seguida mundo afora), exigiu que restaurantes divulguem o número de calorias de cada prato nos cardápios e tentou, sem sucesso, limitar a venda de refrigerantes e bebidas açucaradas em doses de mais de 470ml.

Empresas de tabaco e revendedores se opuseram à restrição de idade, alegando que ela empurrará os adolescentes para o mercado negro.

– O que estamos realmente alcançando? – questionou o presidente da Associação de Lojas de Conveniência de Nova York, Jim Calvin. – Isso não quer dizer que os jovens vão parar de fumar. Por quê? Porque há tantos outros lugares onde eles podem comprar cigarros… Todos os fumantes de 18 anos que forem afastados das lojas de conveniência simplesmente passarão a procurar o cara na van da esquina.

O número de fumantes em Nova York diminuiu quase um terço, para 14,8% da população, durante o mandato de Bloomberg. O secretário de Saúde, Thomas Farley, ressaltou a intenção de coibir o acesso de adolescentes ao tabaco:

– Hoje, uma pessoa de 18 anos pode comprar para outra de 16. Uma vez que a lei se torne efetiva, daqui a 180 dias, essa pessoa de 16 anos terá que encontrar alguém na faculdade ou no trabalho.

As novas leis foram aprovadas pelo Conselho Municipal no mês passado, por 35 votos contra 10. Quem vendê-los para menores de 21 anos pagará multas de até US$ 1 mil por violação no mesmo dia e de até US$ 2 mil na segunda violação. Os revendedores ainda podem perder a licença para vender produtos de tabaco.

A medida inclui os cigarros eletrônicos, que podem ter sabor de frutas, bala e chiclete e viraram uma febre. Nos últimos dois anos, o mercado do produto – que entrega nicotina sem que haja combustão de tabaco e produz vapor em vez de fumaça – passou a movimentar US$ 1,7 bilhão nos EUA. A venda de cigarros chega a US$ 90 bilhões.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)