Embriaguez causa um acidente a cada dois dias

Cruzeiro do Sul
Mistura de álcool e direção registrou 130 ocorrências até setembro, sendo que 41 delas deixaram vítimas

Dos 130 acidentes envolvendo motoristas em estado de embriaguez registrados desde o início do ano até setembro em Sorocaba, 41 deixaram vítimas, o que equivale a 31% das ocorrências. Do total de acidentes registrados, um resultou em morte. O número de registros em 2013 equivale, em média, a um acidente a cada dois dias e se manteve praticamente o mesmo em relação ao mesmo período de 2012, quando a mistura entre álcool e direção causou 126 ocorrências até setembro. Em todo o ano passado, foram 161 acidentes, 57 com vítimas; sendo que três desses acidentes resultaram em morte. Os dados são da Urbes – Trânsito e Transporte, que ainda não possui o levantamento de outubro deste ano. Os números levam em conta ocorrências nas quais há pelo menos um motorista em estado de embriaguez.

Dirigir sob efeito de bebida alcoólica é proibido por lei, e o condutor identificado com qualquer concentração de álcool no sangue está sujeito a multa de R$ 957,70 e suspensão do direito de dirigir por 12 meses. A mistura entre álcool e direção é responsável, segundo a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), por cerca de 30% dos acidentes de trânsito em todo o Brasil, e exemplos são frequentes na região de Sorocaba. No último dia 10, um homem embriagado colidiu o carro que dirigia com mais dois veículos na rodovia João Leme dos Santos (SP-264). Em maio, duas mulheres morreram em Capela do Alto, após a moto em que estavam ser atingida pelo carro de um homem que havia ingerido bebida alcoólica, conforme verificado pelo teste etilômetro na ocasião.

De acordo com o psiquiatra e presidente do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool, Arthur Guerra de Andrade, os principais efeitos do álcool no organismo são a diminuição dos reflexos e sensação de bem estar, que aumentam a confiança do motorista. “A pessoa passa a achar que dirige muito bem e subestima as regras de trânsito”, explica. Segundo o médico, a pessoa que dirige sob efeito de álcool demora, por exemplo, a perceber que o semáforo está fechado. Outra situação é perda de percepção dos outros veículos e dos pedestres. “A visão fica prejudicada”, diz. Para Arthur, a tolerância zero de álcool é adequada. “Por mais que cada pessoa metabolize a substância de forma diferente, precisamos manter os níveis de segurança.” A combinação perigosa resulta, conforme conta, em acidentes que poderiam ser evitados. “Quem quiser beber, beba, quem quiser dirigir, dirija. Mas não em conjunto”, finaliza.

Operação Lei Seca

A fim de reduzir os acidentes causados por embriaguez, a Urbes realizada periodicamente a Operação Lei Seca, em conjunto com a Polícia Militar, que fiscaliza e orienta os motoristas sobre os perigos da cominação entre álcool e direção. As blitze são realizadas em pontos estratégicos, próximo a bares, casas de shows e festas. Na última edição, a operação parou, em duas horas, 140 veículos.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)