São José dos Campos abre 75 novas vagas no bolsa anticrack

Uniad
Somado às abertas em outubro, a cidade oferece 170 vagas

Três meses após a abertura das primeiras vagas para tratamento de dependentes químicos pelo programa estadual de enfrentamento ao crack, São José dos Campos prevê nas próximas semanas a liberação de 75 novas vagas para o ´Cartão Recomeço`. Com a medida, a cidade terá 185 das 300 vagas previstas pelo Estado para o bolsa anticrack. A estimativa é que São José tenha cerca de 2 mil usuários da droga.

A informação é da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social. Serão 20 vagas na Comunidade Terapêutica Esquadrão da Vida em Caçapava; 40 no Instituto Impactar, em São José dos Campos e 15 no Instituto Santa Tereza D´Ávilla, em Caçapava. A Comunidade Nova Esperança na zona rural de São José tem 90 vagas liberadas desde outubro.

A medida, lançada em 2013, prevê repasse mensal de R$ 1.350 por dependente químico às entidades conveniadas ao programa para custear despesas com a recuperação do vício. A ´bolsa anticrack` vai oferecer tratamento pelo prazo de até 180 dias.

A liberação das novas comunidades está em etapa final de credenciamento. As entidades precisam atender critérios estabelecidos no edital do programa. Para o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Rogério Haman, o cronograma de liberação de vagas pelo Cartão Recomeço na cidade atende a demanda.

“O programa pode chegar a 300 vagas, mas a liberação de novos cartões atende a demanda da cidade, que vai sendo avaliada periodicamente. Considero esse número que chegaremos, de 170 vagas, como razoável, já que as vagas são rotativas e a cada seis meses podemos oferecer a recuperação a outro dependente químico”, explicou ao G1.

Prefeitura

A prefeitura confirmou a informação de que não há fila de espera por vagas no município e destacou que, além das vagas oferecidas pelo cartão recomeço, a administração conta ainda que custeia outras 30 vagas e o governo federal, por meio do Programa Crack É Possível Vencer, liberou no fim do ano passado mais 80 vagas – sendo 20 para adolescentes.

O Centro de Atenção Psicossocial-Álcool e drogas (Caps-ad) de São José atende em média 450 pacientes ao mês na cidade. Destes, 40% são dependes de crack.

Além disso, a prefeitura inaugura na próxima quinta (23), o Serviço Ambulatorial Especializado no Tratamento da Dependência Química em Mulheres e Adolescentes (Sama), que vai oferecer atendimento especializado e humanizado para mulheres e adolescentes que buscam tratamento. O local terá capacidade para mais de 1.500 atendimentos por mês.