Ministério entrega 210 bases móveis de combate ao crack até 2015

Portal Brasil
Bases são micro-ônibus adaptados que dão suporte às ações de patrulhamento nas cenas de venda e consumo de crack e outras drogas

Nos próximos anos, o Programa “Crack, é possível vencer” vai receber um reforço importante. Até 2015, o Ministério da Justiça entrega aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios 210 novas bases móveis para policiamento comunitário e preventivo.

As bases são micro-ônibus adaptados que dão suporte às ações de patrulhamento nas cenas de venda e consumo de crack e outras drogas. Os policiais que atuam nestas unidades prestam atendimento à comunidade local e acompanham as imagens captadas por câmeras de vídeo instaladas em pontos estratégicos.

Junto com cada base, o governo federal doa aos estados, Distrito Federal e municípios 20 câmeras de videomonitoramento, dois veículos, duas motocicletas 50 pistolas de condutividade elétrica e 150 espargidores de pimenta.

Os profissionais de segurança pública passam por uma capacitação em policiamento comunitário, abordagem de pessoas em situação de risco e aprendem a atuar de forma articulada com as redes de saúde e de assistência social. Além de atuar na segurança, esses profissionais encaminham usuários de drogas aos serviços públicos adequados.

Crack, é possível vencer

Lançado em dezembro de 2011, o programa Crack, é Possível Vencer é um conjunto de ações do governo federal para enfrentar questões relacionadas ao uso do crack e de outras drogas. A iniciativa tem como objetivo aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários de drogas, enfrentar o tráfico e ampliar mecanismos de prevenção.

As ações estão estruturadas em três eixos: cuidado, autoridade e prevenção. O primeiro inclui ampliação e qualificação da rede de atenção à saúde voltada aos usuários. No eixo autoridade, o foco é a integração de inteligência e cooperação entre Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e polícias estaduais, a realização de policiamento ostensivo nos pontos de uso de drogas nas cidades, além da revitalização desses espaços. Já o eixo prevenção abrange ações nas escolas, nas comunidades e de comunicação com a população.