Beber álcool durante a gravidez pode tornar-se crime no Reino Unido

O Tribunal de Apelaçãop, no Reino Unido, está julgando um caso no qual uma mãe é acusada de ser responsável por danos cerebrais da filha de seis anos, por ter ingerido grandes quantidades de álcool durante a gravidez, embora estivesse ciente de que isso não era saudável.

Nos últimos três anos, foi registrado um aumento da Síndrome do Alcoolismo Fetal, em um estudo realizado em 313 crianças afetadas pela exposição ao álcool ainda no útero da mãe. O departamento de saúde do Reino Unido verificou também que um em cada 100 bebês nasce com desordens relacionadas à exposição ao álcool. Perante esses dados, o país pondera passar a classificar como crime beber álcool durante a gravidez.

O psiquiatra Raja Mukherjee alerta para o fato de não haver uma noção exata da quantidade de álcool que pode interferir com o bem-estar do feto, portanto o melhor é as mulheres manterem-se afastadas de bebidas alcoólicas.

Glen, uma jovem de 15 anos, é outro dos exemplos das consequências que a ingestão de álcool pode originar. A jovem foi identificada com problemas físicos que lhe afetaram a visão e a mobilidade depois de a mãe ter consumido álcool durante a gravidez.

Susan Fleisher, fundadora da associação de solidariedade NOFAS-UK, acredita que devem ser tomadas mais medidas para alertar as mães, mas que acusá-las de crime não é solução. Em vez disse deviam ser-lhes cedidas mais informações
Autor:
OBID Fonte: Adaptado de Notícias ao Minuto