Governo de SP também vai empregar usuário de droga em tratamento

Folha de S. Paulo
O governo de São Paulo começou a empregar em serviços administrativos 13 atendidos pelo programa Recomeço, ação estadual para recuperar usuários de álcool e drogas.

O início da frente de trabalho será oficializado hoje, em evento com participação das secretarias estaduais envolvidas no programa.

A ação será uma das vitrines da gestão Geraldo Alckmin (PSDB). O objetivo é diferenciar o programa estadual do projeto Braços Abertos, da prefeitura, que emprega dependentes sem a obrigatoriedade de tratamento prévio.

Para trabalhar no Recomeço, o usuário precisa ter evoluído na recuperação –é necessária uma espécie de “alta” dos médicos.

“Além de estar mais preparado psicologicamente, nessa fase do tratamento ele já tem projetos. A vida já está se reconstruindo e ele consegue fazer uma projeção do papel dele no trabalho”, diz Eloisa Arruda, secretária estadual da Justiça.

Ela afirma que a inclusão social dos dependentes já estava prevista na criação do programa, no ano passado –antes, portanto, da ação lançada neste ano pelo prefeito Fernando Haddad (PT).

O contrato terá duração de nove meses. Os participantes receberão R$ 395 por mês, além de vale-transporte e refeição. A moradia ficará por conta dos usuários.

Os dependentes trabalharão seis horas por dia, de segunda a quinta-feira (às sextas, eles fazem o curso de qualificação profissional). Todos deverão manter o tratamento médico.

Foram disponibilizadas 40 vagas. Das 13 já preenchidas, oito foram ocupadas na própria Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania. Outras cinco foram preenchidas dentro do Cratod (Centro de Referência de Álcool Tabaco e outras Drogas).

Os trabalhos incluem vagas de técnico de fotocópia, organização de documentos e arquivo. Quem for para o Cratod irá ainda ajudar no acolhimento de pessoas que procuram tratamento.

“É uma vitória poder ajudar os outros e saber que eles podem confiar em mim”, diz Marco Antonio Bueno, 37, ex-viciado em álcool e cocaína em tratamento há oito meses.

RECOMEÇO

O programa Recomeço foi criado pelo governo estadual em maio de 2013 para tratar dependentes químicos. Prevê o pagamento de R$ 1.350 por mês para a internação do usuário em uma comunidade terapêutica.

Atualmente, existem 2.359 vagas disponibilizadas pelo Estado. Está prevista a abertura de outras 848 dentro dos próximos meses.

Também hoje, o governo inicia a ação Recomeço Família, que prevê o apoio psicológico e social às famílias dos usuários de droga.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)