Morte por AVC isquêmico devido ao fumo na China, na Índia e na Rússia é maior do que para todos os outros países do mundo juntos

Nova pesquisa publicada na Global Heart (a revista da Federação Mundial do Coração) mostra que as mortes por acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico, devido ao uso do tabaco, na China, na Índia e na Rússia juntos são mais elevadas do que o total de todos os outros países do mundo juntos. A pesquisa é do Dr. Derrick Bennett, do Departamento de Nuffield de Saúde da População da Universidade de Oxford, Reino Unido, e colegas.

A pesquisa analisa os resultados relativos ao AVC isquêmico em um estudo publicado em 2012, mas também fornece uma análise adicional sobre os efeitos do consumo de tabaco, um importante fator de risco para AVC. Tanto em 1990 quanto em 2010, os países classificados no topo das mortes por AVC isquêmico que poderiam ser atribuídas ao consumo de tabaco foram a China, a Rússia e a Índia. O Dr. Bennett diz: “As políticas de controle do tabaco que visam tanto a iniciação do fumo quanto a cessação do fumo podem desempenhar um papel importante na prevenção do AVC isquêmico. Na China, na Rússia e na Índia, até mesmo reduções modestas no número de fumantes atuais poderiam salvar milhões de vidas, ao impedir somente o AVC isquêmico”.

De todas as mortes atribuídas ao consumo de tabaco em 187 países, em 1990, a China respondia por 26%, a Rússia por 10%, a Índia por 7%, os Estados Unidos por 5%, e o Japão por 4 %. Em 2010, os países com o maior número de mortes atribuíveis ao tabaco foram a China (29%, com 155.332 mortes), a Rússia (12%, com 62 110 mortes), a Índia (11%, com 56 670 mortes), enquanto todos os outros países relacionaram 48,5% de todas as mortes por AVC isquêmico ao tabagismo (258 084). O Dr. Bennett acrescenta: “Preocupantemente, o número de mortes por AVC isquêmico atribuível ao consumo de tabaco na China, na Rússia e na Índia aumentou no período de 20 anos Mesmo que os Estados Unidos e o Japão tenham melhorado entre 1990 e 2010, eles ainda estavam em sexto e quinto lugar em 2010, com 2,6% e 3,4% de todas as mortes atribuíveis ao consumo de tabaco. “O Reino Unido ficou na 18ª posição em 2010, com um número estimado de 5.515 mortes relacionadas ao tabagismo, enquanto o Canadá ficou com a 41ª posição, com 1.634 mortes e a Austrália em 56, com 845 mortes.

O Dr. Bennett sublinha a grande importância do tabagismo como fator de risco para o AVC, com destaque para um estudo recente realizado por Peters et al. mostrando que o risco de AVC isquêmico era em torno de 50% maior em fumantes (homens e mulheres) do que em não-fumantes. Ele também observou que há evidências confiáveis e disponíveis, conduzidas por pesquisas em larga escala, sobre os benefícios de parar de fumar para homens e mulheres. Ele conclui: “a implementação significativa da Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco é uma prioridade não só para reduzir o problema do AVC isquêmico, mas também para outras doenças crônicas não-transmissíveis”.
Autor:
OBID Fonte: Traduzido e adaptado de Medical News Today