Cannabis afeta a qualidade do sono; os problemas são piores para quem começa cedo, cientistas afirmam

As pessoas que consumiram cannabis no início da adolescência são duas vezes mais propensas a terem problemas de sono graves mais tarde na vida, de acordo com um novo estudo.

Embora os resultados sugiram que o uso da maconha pode afetar negativamente a qualidade do sono em qualquer usuário, este malefício foi mais freqüente em pessoas que tinham usado a droga quando tinham 15 anos de idade ou menos.

Os resultados tendem a ser mais preocupantes para as pessoas que usam maconha para relaxar ou como uma maneira de ajudar a dormir, disse o principal autor da pesquisa Jilesh Chheda, assistente de pesquisa da Divisão de Humor e Transtornos de Ansiedade, do Departamento de Psiquiatria da Universidade da Pensilvânia.

“Este último estudo descobriu que usuários de maconha são mais propensos a ter problemas de sono”, disse ele.

“A descoberta mais surpreendente foi que havia uma forte relação com a idade do primeiro uso, não importando quantas vezes as pessoas tenham usado maconha”.

“As pessoas que começaram a usar no início da vida estavam mais propensas a ter problemas de sono quando adultas”, acrescentou.

O estudo incluiu adultos com idade entre 20 e 59 anos de idade, que responderam à Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição – uma série de estudos destinados a avaliar a saúde e o estado nutricional de adultos e crianças nos Estados Unidos.

1.811 dos participantes relataram que tinham usado algum tipo de droga. Para avaliar os resultados, os cientistas definiram “usuário de cannabis” como uma pessoa com qualquer história de uso da droga. Os problemas relacionados ao sono foram considerados graves, se ocorressem pelo menos 15 dias por mês. Quando a pessoa tinha usado pela primeira vez a droga e o número de vezes que tinha usado no mês anterior também foram dados analisados.

A equipe descobriu que os usuários de maconha estão mais propensos a ter dificuldade para dormir e manter o sono, experimentando sono não reparador e sonolência durante o dia. Pessoas que usaram a droga antes dos 15 anos tinham duas vezes mais probabilidade de sofrer dessas complicações.

“É importante entender as implicações do uso da maconha sobre a saúde pública, assim como seu impacto sobre o sono, que não é bem conhecido”, disse o autor sênior do estudo, Michael Grandner, PhD, professor em Psiquiatria e membro do Centro de Sono e de Neurobiologia Circadiana.
Autor: Kashmira Gander
OBID Fonte: Traduzido e adaptado de The Independent