fbpx

Um quarto dos adultos europeus consumiu drogas ilícitas, destaca Relatório Europeu sobre Drogas

OBID – Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas
Pelo menos 85 milhões de europeus adultos consumiram uma droga ilícita em algum momento da sua vida, o que equivale a cerca de um quarto da população adulta da Europa, segundo o Relatório Europeu sobre Drogas, publicado recentemente pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência.A maioria dessas pessoas afirma ter consumido maconha (77 milhões), sendo as estimativas do consumo de outras drogas ao longo da vida muito mais baixas: 14,5 milhões para a cocaína, 12,7 milhões para as anfetaminas e 11,4 milhões para o ecstasy.Os níveis de consumo de droga ao longo da vida variam consideravelmente na Europa, desde um terço dos adultos na Dinamarca, França e Reino Unido, até menos de um em cada dez na Bulgária, Grécia, Hungria, Romênia e Turquia.

Novos dados relacionados ao tratamento
Dentre os dados publicados no relatório, destacam-se os relacionados a tratamento. A maconha foi a droga mais referida pelos usuários que iniciam o tratamento pela primeira vez: no continente, há mais de 3 milhões de consumidores diários de cannabis e, nos últimos anos, houve aumento da procura de tratamento. Uma minoria significativa dos consumidores de cannabis consome essa substância intensivamente: cerca de 1 % dos adultos afirmam consumir a droga desta forma.

Os dados mostram padrões semelhantes para a cocaína e a anfetamina, sendo poucos os usuários que iniciam o tratamento devido a problemas causados pelo ecstasy. Houve sinais de declínio da procura de tratamento devido ao consumo de cocaína. A droga foi indicada como droga principal de 14 % dos usuários cuja entrada em tratamento da toxicodependência foi reportada em 2011 e de 19 % dos que iniciaram o tratamento pela primeira vez.

No ano de 2011, apenas cerca de três mil novos usuários de cocaína-crack como droga principal iniciaram tratamento em toda a Europa, dois terços dos quais, aproximadamente, no Reino Unido e a maioria dos restantes na Espanha e nos Países Baixos. Cerca de 6 % dos usuários que iniciaram um tratamento especializado da toxicodependência na Europa, em 2011, mencionaram as anfetaminas como droga principal.Com relação ao ecstasy, houve baixa procura de tratamento. Em 2011,este foi mencionado como droga principal por menos de 1 % das pessoas que iniciaram o tratamento pela primeira vez na Europa.
Fonte: Senad