História do Uso da Maconha

A maconha está no centro de uma grande controvérsia. Ela é demonizada por uma grande parte das pessoas e idolatrada por outras. Mas nenhum desses lugares-comuns e extremos representam bem seu significado para o homem.

Não adianta tentar resolver o debate com as limitações do maniqueísmo simplório. A maconha pode fazer mal para pessoas que a consomem de modo abusivo, pois nenhum comportamento compulsivo é bom, e fumá-Ia é um comportamento compulsivo.

Como remédio medicinal é vendida em cápsulas e não é preciso fumá-Ia.

Só conseguiremos resolver os problemas causados pelas drogas quando o debate superar preconceitos e se aprofundar de verdade. A maconha destrói a sociedade. É a entrada para drogas mais fortes.

A cannabis acompanha a humanidade desde o início da civilização. Veja nesta linha do tempo os principais momentos de nossa relação com essa planta.

Primeiros registros

10.000 a.C. Yuan-Chun, China Uma porcelana com marcas de corda de cânhamo cobrindo sua superfície foi encontrada em um sítio arqueológico do período neolítico chinês. 4.000 a.C. Vila Pan Po, Vale Weishui, China

Foram encontradas fibras de cânhamo impressas em vasos e louças decorativas.

1.000 a.C O Atharda Veda, livro sagrado do Hinduísmo, faz referência às alterações mentais causadas pelo “bhang”, bebida psicoativa feita com folhas e flores de maconha.

500 a.C. Punjab

A tradição budista conta que Sidarta Gautama, o Buda, viveu 6 meses alimentando-se exclusivamente de sementes de cannabis.

Muçulmanos usam fibras de cânhamo no primeiro moinho de papel da Europa, em Xátiva, Espanha. Até o século 19, a maioria dos papéis do mundo eram feitos de cânhamo. A Bíblia de Johannes Gutenberg, por exemplo, usou essa matéria prima
em 1450.

1932 d.C. Decreto 20.930

É criada a prisão para o uso de maconha no Brasil.

1937 Nos EUA, o “Ato da Taxa da Maconha” virtualmente proíbe a droga e constrange os médicos a não receitarem mais cannabis.

1938 O Decreto-Lei 891

Aumenta as penas para tráfico e uso no Brasil.

Apesar da Tailândia ter famosas variedades de maconha, o Sudeste Asiático é a região com o menor consumo do mundo. Lá as pessoas preferem fumar ópio.

É interessante observar as conseqüências negativas da política de legalização das drogas no Colorado e no Uruguai.

Vamos manter essas experiência lá, não em nossas casas!

HAROLDO J. RAHM
Presidente Emérito da Instituição Padre Haroldo e do Amor-Exigente.
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas