Relatório conclui que o tabaco é mais mortal hoje do que há 50 anos

Cinquenta anos atrás, a Academia de Cirurgia dos Estados Unidos conseguiu vincular o tabaco ao câncer de pulmão pela primeira vez. Desde então, as pesquisas associam tabagismo a uma série de outros problemas de saúde, e os esforços para divulgar os efeitos nocivos ajudou a impulsionar um declínio histórico no número de americanos que fumam regularmente.

No entanto, mais de 42 milhões de adultos permanecem dependentes de cigarros, e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) diz que o tabaco ainda é o maior desafio de saúde pública. Por que é que o tabaco continua no topo da lista do CDC? Por que não ultrapassamos esta etapa? Em grande parte porque os fabricantes de cigarros têm trabalhado para manter seus produtos relevantes, mesmo no meio de campanhas de saúde pública agressivas para combater o tabagismo, de acordo com novo relatório divulgado pela Campanha para Crianças Livres do Tabaco dos Estados Unidos.

Os cigarros de hoje são muito diferentes dos cigarros que estavam no mercado há cinco décadas, de acordo com o novo relatório, e isso é porque as empresas de tabaco têm realizado pesquisas para descobrir como fazer com que o tabagismo se mantenha atraente para novos consumidores.

Eles aumentaram o grau de dependência em seus produtos aumentando os níveis de nicotina – a química viciante do cigarro – e usando novos aditivos para ajudar a melhorar o impacto da substância. Eles também adicionaram aromatizantes, açúcares e mentol para mascarar o efeito da fumaça, e, em última análise, na esperança de que isso iria tornar os cigarros mais agradáveis de serem usados.

“A maioria das pessoas poderia pensar que, 50 anos depois de termos descoberto que o cigarro causa câncer de pulmão, o cigarro seria mais seguro. O mais impactante no relatório foi que, hoje, descobrimos que um fumante tem mais de duas vezes mais chances de desenvolver câncer de pulmão do que um fumante de cinquenta anos atrás, sendo este um resultado direto de alterações de design feitas pela indústria”, informou Matt Myers, Presidente da Campanha para Crianças Livres do Tabaco.

Em cima disso, a organização de Myers observa que essas empresas têm feito movimentos calculados para criar a próxima geração de fumantes, de acordo com documentos internos de marketing de empresas de tabaco que foram tornados públicos, como resultado de processos judiciais contra eles.
Autor:
OBID Fonte: Thinkprogress