Vício em crack é o que mais interna pessoas em São Luís, diz Caps

G1
Estudo mostra que 90% dos atendimentos foram para viciados em crack. Levantamento foi feito pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas.

Um levantamento do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps) mostra que 90% dos atendimentos feitos este ano foram de usuários de crack. A droga é mais consumida no Maranhão. O estudo aponta, ainda, que 9% são alcoólatras e 1% viciados em maconha.

Para minimizar esse problema, o Caps, em parceria com a Polícia Civil, têm feito operações para retirar das ruas usuários de drogas, que são encaminhados para centros de reabilitação. “Já é a segunda ação que nós fazemos, passamos para recolher o pessoal e encaminhar para o tratamento”, explica o delegado Joviano Furtado.

Segundo o Caps, 35% dos dependentes químicos abandonam o tratamento na primeira semana, 20% conseguem deixar o vício e são reinseridas no mercado de trabalho e 45% têm recaídas esporádicas e precisam continuar em tratamento. O levantamento aponta também que a maioria das pessoas que busca a reabilitação tem entre 20 e 30 anos.

O ranking de dependentes químicos que procuram por atendimento por bairros de São Luís coincidem com os locais onde possuem Cracolândias. Eles são os bairros Liberdade, João Paulo, Cidade Operária e Barreto.

As operações se concentram em áreas da capital conhecidas como Cracolândias, como João Paulo, Forquilha, Barreto, Cohama, São Francisco e Centro, por exemplo. “Apoio social, apoio do estado e o apoio familiar proporcionam uma absoluta eficácia no tratamento”, garante o Diretor do Caps, Marcelo Costa.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)