Consumo de álcool por adolescentes preocupa Conselho Tutelar

G1
De março de 2013 a junho de 2014 foram registrados 136 casos.
Segundo órgão, pais devem redobrar atenção para evitar casos.

Na terça-feira (2) quatro adolescentes foram flagradas com uma garrafa de bebida alcoólica dentro da sala de aula, na escola São Felipe, localizada no bairro Matinha, em Santarém, oeste do Pará. O Conselho Tutelar alerta aos pais que redobrem a atenção para evitar situações como esta. De acordo com o órgão, o consumo de bebida alcoólica entre os adolescentes é cada vez mais comum.

No período de março de 2013 a junho de 2014 foram registrados 136 casos. “Este ano nós tivemos uma ocorrência considerada muito grave, quando fomos acionados pela Polícia Militar e trouxemos mais de 20 adolescentes para o Conselho Tutelar; entregamos aos pais e responsáveis através de termos de advertência”, alerta o coordenador do Conselho Tutelar 2, Francisco Edinaldo.

As adolescentes flagradas na escola têm entre 14 e 16 anos e foram encaminhadas pela Polícia Militar para o Conselho Tutelar 2. Depois de serem ouvidas, as garotas foram entregues aos familiares. Os pais foram notificados e as menores passaram a ser acompanhadas por conselheiros.

Crime

De acordo com o artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), vender, fornecer ainda que gratuitamente, ministrar ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente, sem justa causa, produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica, ainda que por utilização indevida. Pena – detenção de dois a quatro anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.

Papel dos pais

O conselheiro Luis Felipe Sousa explica que os pais tem um papel fundamental para evitar o consumo de álcool entre os menores de idade, inclusive na escola. “O pai precisa redobrar a atenção e ver o que realmente o filho está fazendo”.

Segundo Sousa, o Conselho Tutelar tem intensificado as fiscalizações em bares e casas de festa com o objetivo de combater as ocorrências.

Serviço

Em caso de crianças e adolescentes em situação de risco, entrar em contato pelo telefone (93) 9123 4044 ou pelo disk 100. O sigilo será garantido.
Fonte:ABEAD(Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas)