Comparação da eficácia entre a Prevenção de Recaída baseada em Mindfullness, Prevenção de Recaída e Tratamento Usual para os transtornos relacionados ao uso de substâncias

Mesmo após décadas de estudos a alta prevalência de recaídas entre dependentes de álcool e de outras drogas que buscam tratamento continua sendo um desafio no campo das dependências. Uma abordagem eficaz para lidar com o problema é a terapia de Prevenção de Recaída (PR) que, de maneira geral, tem como objetivo auxiliar o paciente a identificar situações de risco para a recaída e ensinar habilidades cognitivas e comportamentais para reduzir estes riscos.

No entanto, estudos apontam possíveis deficiências desta abordagem, já que deixa de contemplar necessidades individuais que muitas vezes são desencadeantes para a recaída, como é o caso das sensações subjetivas desagradáveis (ansiedade, depressão, irritabilidade, por exemplo), além de que a exposição e aceitação de tais sensações poderíam ser mecanismos positivos para a mudança de comportamento.

Evidências apontam que a técnica de Mindfullness (M), ou “atenção plena”, que consiste em focar a atenção de maneira intencional na experiência direta do momento presente numa atitude aberta e não julgadora, pode ser útil para o tratamento dos transtornos por uso de substâncias pois fornece a possibilidade de melhorar a eficácia da PR padrão ao trabalhar questões internas e externas ao indivíduo, auxiliando na maior aceitação do problema e diminuição da urgência para resolver o desconforto da falta do uso, mecanismo que muitas vezes é mediador da recaída.

Esta técnica também auxilia em formas de lidar com os estados negativos (afetivos e físicos), reconhecendo as razões para comportamentos desajustados (diferente das abordagens de evitação). Além disso, já foi associada à redução de ansiedade, melhora de transtornos alimentares e depressão.

O presente estudo teve o objetivo de avaliar a eficácia da Prevenção de Recaída baseada em Mindfullness – programa que associa componentes das técnicas PR e M –comparando-a com a PR padrão e o tratamento usual, composto pela abordagem dos 12 passos e psicoeducativos. Tal estudo comparativo foi feito ao longo de 12 meses, utilizando total de 286 indivíduos adultos após completarem tratamento (28 dias de internação ou 90 dias intensivos de tratamento ambulatorial) para transtornos por uso de álcool e substâncias. Os participantes foram aleatoriamente designados para realizar sessões semanais em grupos que adotavam técnicas de prevenção de recaída baseada em Mindfullness, PR ou tratamento usual.

A maioria dos indivíduos incluídos era do sexo masculino (71,5%) com idade entre 18 e 70 anos e usuários de múltiplas substâncias. Entre os integrantes dos grupos tratamento usual, PR e Prevenção de Recaída baseada em Mindfullness, 15%, 10% e 16%, respectivamente, relataram fazer uso apenas de bebidas alcoólicas.

Os resultados mostram que não foram encontradas diferenças significativas entre os grupos nos primeiros três meses do seguimento. Já no 6º mês verificou-se que os participantes dos grupos de PR e Prevenção de Recaída baseada em Mindfullness apresentaram menor chance de recaída e também em sua gravidade para uso de drogas, e ainda redução de 31% no número de dias de uso pesado de álcool em comparação com os do tratamento usual. Por fim, no 12º mês do seguimento, entre aqueles que relataram ter feito uso de substâncias, os integrantes da Prevenção de Recaída baseada em Mindfullness apresentaram maior probabilidade de evitar o uso pesado de álcool e significativamente menos dias de uso de drogas que os participantes do PR.

De maneira geral, constata-se que os três tipos de tratamentos são igualmente efetivos nos três primeiros meses, mas quando se considera períodos mais longos, os grupos PR e Prevenção de Recaída baseada em Mindfullness demonstraram importante e significativa redução do risco de recaída no uso pesado de álcool e uso de drogas quando comparados ao tratamento usual (54% de redução no risco de recaída para drogas e 59% no risco de recaída no uso pesado de álcool).

Desta forma, os autores sugerem que as práticas de Mindfullness podem apoiar os resultados de longo prazo do tratamento para dependência do álcool e outras drogas através do fortalecimento de algumas habilidades como as de monitoramento e enfrentamento do desconforto associado à fissura e sensações subjetivas desagradáveis.
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool