fbpx

Projeto Intervidas: atendimento à população de rua é reforçado em Curitiba

Pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social em Curitiba podem contar, a partir de agora, com dois novos serviços que têm como objetivo promover o resgate da cidadania e a inserção dessa população nos serviços públicos municipais. O ônibus Intervidas, que conta com equipes multidisciplinares para realizar abordagens a dependentes químicos em locais públicos, e o trailer do Consultório na Rua, unidade móvel que dará suporte às equipes de saúde para fazer o atendimento à população em situação de rua e prestar atendimento médico e odontológico, além da realização de testes rápidos de HIV/Aids.

O início da operação dos novos equipamentos foi anunciado nesta quarta-feira (25) pelo prefeito Gustavo Fruet, em evento na sede da Prefeitura que contou com a presença dos secretários nacionais de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Maldos, e de Política sobre Drogas do Ministério da Justiça, Vitore Maximiano.

“Essa política sobre drogas que une Saúde e assistência social é o modelo considerado mais eficaz pelo governo federal. Precisamos tirar o foco de se aplicar medidas de internamento para atender com mais humanidade”, disse Maximiano.

“É muito importante fortalecer as medidas de prevenção e tratamento e reforçar os programas da Saúde e Ação Social para reconquistar a confiança da população em situação de rua”, disse Fruet.

As iniciativas fazem parte do programa Curitiba Mais Humana e são resultado de um trabalho intersetorial realizado por diversos órgãos da Prefeitura de Curitiba – como a Fundação de Ação Social (FAS), Fundação Cultural de Curitiba, secretarias de Governo, Saúde, Educação, Esporte e Lazer e a Assessoria de Direitos Humanos, além de movimentos sociais e ONGs.

A presidente da FAS, Marcia Oleskovicz Fruet, diz ser fundamental fortalecer a rede de atendimento à população de rua. “Nunca se abriu tanto serviço à população de rua quanto nestes 14 meses de gestão”, disse.

O secretário municipal da Saúde, Adriano Massuda, conta que o Consultório na Rua atendeu 2,7 mil pessoas no ano passado. “Essas pessoas têm direito ao atendimento de saúde como direito à cidadania. Nesses programas, a saúde ajuda a resgatar as pessoas que estavam nas ruas e a reconquistar direitos simples, como o de voltar a ter planos”, disse Massuda.

Presente no evento, o Procurador de Justiça Olympio de Sá Sotto Maior Neto, do Ministério Público do Estado do Paraná, elogiou as políticas implantadas em Curitiba no atendimento à população de rua. “O papel do Estado é fazer chegar esse serviço a pessoas que vivem a margem da sociedade. O Ministério Público do Paraná reconhece tudo que a Prefeitura de Curitiba tem feito, uma política concreta em favor da população de rua”, disse.

Também estiveram presentes ao evento a presidente do Imap, Liana Maria da Frota Carleial, o secretário municipal de Governo, Ricardo Mac Donald Ghisi, o assessor de Direitos Humanos da Prefeitura, Igo Martini, e Leonildo Jose monteiro filho, presidente do Movimento Nacional da População em Situação de Rua.

Intervidas

O ônibus Intervidas é um serviço que conta com profissionais que farão abordagens a usuários de drogas, em locais públicos, para encaminhá-los a serviços como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), unidades de saúde, Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS) e Centros Pop.

O Intervidas conta com o apoio da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça e vai funcionar todas as quintas-feiras, das 18h30 às 21h30, na Praça Osório.

Trailer

Além de duas ambulâncias, as equipes do Consultório na Rua passam a contar com um trailer para prestar atendimento às pessoas em situação de rua em Curitiba, que hoje somam cerca de 4 mil pessoas. É um trailer com consultório médico e equipado para realizar a testagem rápida para HIV/Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis.

O trailer foi repassado pelo Centers for Disease Controland Prevention (CDC), em regime de comodato, por dois anos, tempo de duração da pesquisa. O projeto é uma parceria entre Fiocruz, CDC, Secretaria Municipal de Saúde, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, a Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e Grupo Dignidade (ONG de Curitiba).

Ele vai funcionar de segunda à quinta-feira, entre 9h e 17h, no Largo da Ordem (Relógio das Flores), Terminal do Boqueirão, Praça Rui Barbosa e Terminal do CIC (em frente à Casa da Leitura). Os locais foram definidos devido ao número de pessoas em situação de rua nesses pontos.

Ainda durante o lançamento dos novos serviços, foi feita a abertura da exposição de fotos Re-tratos da Rua, no saguão da Prefeitura. O objetivo do projeto eraestimular usuários de álcool e drogas em tratamento e pessoas em situação de rua a fotografar situações e locais da cidade que fossem significativos para eles. Os participantes frequentaram aulas fotografia nos CAPS e nos Centros Pop e também receberam o equipamento para produzir o material fotográfico. A iniciativa teve o apoio do Ministério da Saúde para projetos de Reabilitação Psicossocial e a exposição deve seguir para outras cidades.
Autor:
OBID Fonte: Prefeitura de Curitiba