Governo brasileiro recebe Ruth Dreifuss para debater política sobre drogas

A experiência da Suíça com programas sociais e de saúde a usuários abusivos de drogas foi o tema que reuniu autoridades da Casa Civil, MJ, MS, MDS e representantes da sociedade civil, como o Instituto Igarapé, com a ex-presidente da Suíça e atual membro da Global Commission on Drug Policy, Ruth Dreiffus. O encontro aconteceu na sexta-feira (17) no Ministério da Justiça.

O encontro intersetorial buscou exemplos práticos aplicados pelos suíços nos anos 90, época em que havia grande uso de heroína pela população. “A Suíça tinha uma parcela da população conservadora, que usava a repressão como saída para os problemas com uso de drogas, mas vimos que quando a saúde e assistência social assumiam a abordagem nos grandes centros urbanos com políticas de redução e danos como distribuição de seringas e cuidados de saúde, o resultado era mais eficaz”, explicou Ruth Dreifuss. A partir de iniciativas da sociedade civil, o governo criou ações inovadoras, como a sala de uso seguro e o incentivo a pesquisas com as substâncias ilícitas.

A secretária da prefeitura paulista Luciana Temer apresentou o trabalho com o Programa De Braços Abertos, que segue uma cultura similar a aplicada na Suíça de atenção ao usuário nas áreas de saúde, trabalho e assistência social. “Começamos o projeto após seis meses de aproximação e criação de vínculos com os usuários que estavam nas ruas de São Paulo, o formato foi definido a partir das necessidades dessas pessoas e temos conseguido bons resultados, apesar do grande desafio”, comentou Luciana Temer.

Para o diretor de Articulação e Coordenação de Política sobre Drogas do Ministério da Justiça, Leon Garcia, é preciso sair do modelo de encarceramento dos usuários para uma abordagem social. Hoje o ministério financia cerca de 25 projetos piloto que visam a reinserção do usuário de drogas de forma pioneira como na Suíça. “Esse ano investimos R$ 25 milhões em 25 projetos que oferecem moradia e trabalho para essa população”, afirmou.

O conceito de política sobre drogas utilizado na Suíça e as experiências de sucesso compartilhadas pela ex-presidente Ruth Dreifuss serão utilizadas para estudos e pesquisas do governo brasileiro para aprimoramento da atual políticas sobre drogas.

Modelo suíço

Ruth Dreifuss, primeira mulher presidente da Suíça, é membro da Global Commission on Drug Policy que reúne 22 líderes intelectuais globais no tema política sobre drogas. Ela pertence ao partido da Social Democracia Suíço e também foi ministra da Saúde/Desenvolvimento Social por quase dez anos na década de 90, período em que liderou a construção de uma política sobre drogas fortemente articulada com políticas sociais de moradia, trabalho e políticas de saúde de redução de danos em seu país. Essa política trouxe respostas concretas e que ganharam forte apoio popular, institucionalizando-se nos anos 2000, mesmo com o crescimento de movimentos conservadores que defendiam o modelo de guerra às drogas. Dentre os sucessos da política suíça estão a grande melhoria nas condições de vida dos usuários pesados de drogas (incluindo grande redução no contágio de HIV), o desaparecimento das grandes cenas de uso de drogas em espaços públicos de cidades suíças (uma delas chegando a contar com mais de mil usuários) e a diminuição da sensação de insegurança da população dessas cidades. Desde então, Ruth Dreifuss tem sido uma interlocutora de diversos governos e da sociedade civil no debate sobre as políticas de drogas.
Autor:
Fonte: Senad/MJ