Qual tipo de bebedor contribui mais para os acidentes fatais de trânsito?

Um aspecto importante na segurança do trânsito é a identificação do perfil de bebedor que mais contribui para os acidentes automobilísticos. A literatura científica, em termos gerais, apóia a noção de que grande parcela da responsabilidade por esses acidentes está associada ao uso de álcool por bebedores problemáticos (bebedores que fazem uso abusivo e compulsivo de álcool).

Contudo, há especialistas que divergem desse ponto de vista alegando que, por questões metodológicas, os demais perfis de bebedores são sub-representados nesses estudos.

A fim de investigar essa questão, os autores lançaram mão dos dados científicos referentes aos problemas associados ao uso de álcool por maiores de 18 anos. A amostra utilizada foi de 43.093 sujeitos. Estima-se que nos EUA haja aproximadamente 17,6 milhões de adultos dependentes de álcool.

Os autores dividiram a amostra em seis perfis diferenciados, conforme divisão prévia feita pelo National Epidemiologic Survey on Alcohol and Related Conditions: dependentes, uso abusivo, dependentes e uso abusivo, bebedores pesados (5 ou mais doses de álcool por ocasião para homens e 4 ou mais para mulheres), bebedores sociais (episódicos) e abstêmios. Esses dados foram cruzados com os índices de acidentes automobilísticos ocorridos nos EUA.

Os autores constataram que os números de acidentes de trânsito nos EUA variaram de acordo com o estado da federação. Quanto maior o número de abstêmios em um estado, menor o número de acidentes fatais de trânsito em que houve uso de álcool ao passo que quanto maior o número de bebedores, maior o número de acidentes fatais de trânsito relacionados ao uso de álcool. Ademais, constatou-se também que o número de acidentes fatais está associado com os diferentes padrões de consumo de álcool.

Ou seja, os autores observaram que os bebedores sociais de álcool estiveram associados de maneira significativa (mais de 50%) com a ocorrência de acidentes fatais de trânsito. Em parte essa porcentagem elevada é fruto do número elevado de pessoas que foram incluídas nessa categoria (74,5% da amostra total). Esses dados, contudo, reforçam a necessidade da criação de medidas preventivas focadas nos bebedores sociais de álcool.

Os bebedores pesados e abusivos de álcool tiveram uma associação significativa e elevada com acidentes fatais de trânsito. Os autores criticam a metodologia estatística empregada, pois a separação por estados da federação pode não ser adequada.
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool