Consumo de álcool na gravidez pode acarretar sérios problemas ao bebê

EBC
Por Enciclopédia sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância
(imagem reprodução do google)
O consumo de álcool durante a gravidez é um problema mundial de saúde. Seus efeitos negativos afetam cerca de 5% das crianças em todos grupos raciais e culturais. Como ainda não foram estabelecidos limites seguros para o consumo de álcool durante a gravidez, é importante que mulheres que já estão grávidas ou que pretendem engravidar parem de consumir bebida alcoólica.

O consumo frequente de álcool durante a gravidez pode acarretar sérios danos à criança, que vão desde problemas de saúde a cognitivos e emocionais:

– De saúde (baixo peso ao nascer, malformações congênitas e retardo de crescimento);

– Cognitivos (déficits nas áreas de linguagem, memória e resolução de problemas);

– Comportamentais (dificuldade de atenção, impulsividade e hiperatividade);

– Emocionais (irritabilidade, maior reatividade ao estresse e maior tendência a sentimentos negativos).

Estes problemas podem persistir por muito tempo e levar a outros no decorrer da vida, como por exemplo, doenças mentais e pouco desenvolvimento pessoal. O risco de agravamento dos sintomas é ainda maior quando o consumo de álcool é acompanhado por desnutrição durante a gravidez.

Por isso, é importante evitar o consumo de álcool durante o período em que estiver tentando engravidar e parar totalmente de consumir bebidas alcoólicas durante a gravidez. Havendo dificuldade em parar de beber, uma ajuda profissional deve ser requisitada, bem como a ajuda do companheiro e dos membros da família.
Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas