Tipos de bebidas alcoólicas e mortalidade

Muitos estudos sugerem que as taxas de mortalidade por causas variadas são menores entre os que consomem quantidades baixas a moderadas de álcool e maiores entre os abstêmios e os que ingerem graus elevados de bebidas. Entretanto, os estudos não foram capazes de determinar se tais taxas mantém relação com os tipos de bebidas consumidas, especialmente cerveja, vinho e destilados.

Objetivando estabelecer a relação entre tipos de bebidas alcoólicas consumidas e taxas de mortalidade por causas cardiovasculares, por câncer e causas diversas, pesquisadores realizaram estudo com 13.064 homens e 11.459 mulheres com idade entre 20 a 98 anos que viveram na cidade de Copenhagen, Dinamarca. Os dados foram analisados a partir de questionários. Os indivíduos foram classificados quanto ao consumo de álcool da seguinte forma: abstêmios (menos que uma dose por semana), consumo leve (1 a 7 doses por semana), pessoas com consumo de 8 a 12 doses por semana ou 22 a 35 doses por semana e consumo importante (mais que 35 doses por semana).

No decorrer do tempo de estudo 4 833 pessoas morreram. Comparados aos abstêmios, os consumidores leves que não bebiam vinho apresentaram discreta redução (ao redor de 10%) de mortalidade sendo que a queda no risco foi mais evidente para os consumidores leves que bebiam vinho (aproximadamente 33%). Os que tiveram consumo importante e evitaram vinho apresentaram risco aumentado de mortalidade do que os da mesma categoria que consumiram tal bebida. Os consumidores de vinho apresentaram menor risco de mortalidade por causas cardiovasculares e câncer dos que os não consumidores desta bebida.

Os autores concluíram que o estudo em questão sugere provável benefício do vinho em relação à mortalidade quando comparado a outras bebidas alcoólicas.
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool