Mortalidade entre motociclistas alcoolizados envolvidos em acidentes de trânsito


Motocicletas são os veículos automotores que mais colocam em risco a vida dos motoristas. Os acidentes fatais envolvendo este tipo de veículo atingem taxas de 35 acidentes por 100 milhões de milhas percorridas – para os automóveis esta taxa é de 1,7 acidente por 100 milhões de milhas.

Pesquisas têm detectado aumento no número de acidentes fatais entre motociclistas provocados pelo uso de álcool, principalmente entre pessoas com idade em torno dos 40 anos.

Esta pesquisa teve como objetivo estimar as tendências de acidentes fatais envolvendo consumo de álcool nas diversas faixas etárias nos anos de 1983, 1993 e 2003 nos EUA.

Os pesquisadores detectaram que, entre 1983 e 2003, a prevalência de concentração elevada de álcool no sangue de motociclistas mortos em acidentes diminuiu. No entanto, neste mesmo período, a maior parte dos motociclistas que morreram em acidentes e haviam consumido álcool passou da faixa etária dos 20 a 24 anos para a dos 40 a 44 anos. Em 1983, 8,3% dos motociclistas mortos após terem ingerido álcool encontrava-se na faixa dos 40 aos 44 anos. Em 2003, este número cresceu para 48,2% dos casos.

A taxa de mortalidade entre motociclistas passou de 1,6 por 100.000 habitantes em 1983 para 0,9 em 1993 e cresceu para 1,2 em 2003. Os maiores declínios foram observados entre motoristas com idade em torno de 30 anos e as maiores incidências entre motoristas com mais de 40 anos.

Os autores concluíram que motociclistas mais velhos apresentam com maior frequência o comportamento de beber antes de dirigir do que os motoristas mais jovens. Entre os motociclistas mais velhos, o uso de motocicleta é mais comum nos finais-de-semana ou em viagens recreativas, situações que muitas vezes incluem o consumo de bebidas alcoólicas.
Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool